Dor nas costas é o problema que mais afasta brasileiros do trabalho

Permanecer longas horas sentado na mesma posição ou curvado na frente de um computador faz parte da rotina de muita gente. Não é por acaso que, segundo dados da Previdência Social, a dor nas costas está em primeiro lugar no ranking das doenças que mais afastam as pessoas do trabalho. Só no primeiro semestre de 2016, aproximadamente 212 mil trabalhadores deixaram suas funções por causa de problemas na coluna. “Apesar da alta incidência, apenas um terço das pessoas com dor lombar procuram auxílio médico. Mesmo assim, a dor nas costas é a principal causa de atendimento médico, perdendo apenas para a gripe”, revela o ortopedista Fernando Weiss.

Má postura, falta de condições ergonômicas nas estações de trabalho e uso excessivo de computadores e demais dispositivos eletrônicos podem estar relacionados ao surgimento destas dores. Já a obesidade, o tabagismo e o sedentarismo são comprovadamente fatores de risco para dores na coluna cervical e na lombar. “Ainda temos algumas condições emocionais e psicossociais, como depressão, ansiedade e estresse, que estão relacionadas ao início destas dores e sua gravidade”, afirma Weiss. De acordo com o ortopedista, diversos estudos apontam que 84% das pessoas apresentará ao menos um episódio de dor lombar durante sua vida e que 23% da população sofre com dores crônicas na coluna lombar.

Atividades feitas de maneira inadequada e uma postura incorreta podem aumentar a sobrecarga na coluna, causando alterações que levam à compressão dos nervos, diminuição da massa muscular e encurtamentos. Aí, a dor é inevitável – e pode inclusive irradiar para ombros, nuca e cabeça. Para algumas pessoas, esta dor já faz parte da rotina. Mas o especialista alerta: ainda que a maior parte das queixas de dor lombar ou cervical não tenham uma causa específica, como uma hérnia, por exemplo, dores persistentes ou irradiadas para os membros devem ser investigadas, já que o diagnóstico precoce pode evitar que a dor se torne crônica ou que os sintomas se intensifiquem a ponto de causar algum tipo de incapacidade. “O ponto central na prevenção de episódios de dor lombar e cervical é a melhora da qualidade de vida geral, especialmente a prática de atividade física regular”, revela o ortopedista. Corrigir a postura, fortalecer os músculos e se movimentar – alternando a posição – também são medidas que mostram efetivas na prevenção das dores lombar e cervical.

aline@iemecomunicacao.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.