Em quantos cômodos cabe uma casa?

Já se foi o tempo em que uma casa era descrita pelo número de cômodos... Agora a tendência é integrar para expandir.

Tendências mudam o tempo todo… Mas se tem uma que parece ter vindo para ficar no mundo da arquitetura e do designer é o conceito de espaços abertos e integrados. Isso porque, além da influência da mídia, como o cinema internacional, e da grande aceitação do público, integrar também passou a ser uma necessidade nos tempos atuais. Afinal, em espaços cada vez mais reduzidos, essa pode ser uma estratégia e tanto. Além disso, com a ajuda do designer de interiores, os novos projetos se tornam além de funcionais, agradáveis e bonitos.

E as opções são variadas. Ao invés de portas e paredes para demarcar espaços entre os cômodos, o arquiteto e urbanista, Ricardo Sardo, destaca soluções como: “Brincar com as cores e com mudanças sutis de texturas e alternar tipos de pisos. São opções capazes de criar essa sensação de diferentes espaços e de amplitude, facilitando a circulação”. A tendência também favorece a iluminação dos ambientes e a circulação de vento, a partir de alternativas como grandes janelas e jardins de inverno.

Mas apesar desse movimento crescente no mundo, em cidades menores do Brasil ele ainda está em expansão, destaca, Ricardo Sardo. “O que dá para notar bastante é a tendência de cozinhas menores e lavanderias suprimidas, porque esses serviços estão sendo cada vez mais terceirizados pelas famílias. No entanto, a privacidade do quarto, ainda é algo que poucas pessoas abrem mão. São adaptações que as pessoas fazem conforme a cultura local”, finaliza.

Ricardo Sardo

Ricardo Sardo é natural de Porto Alegre. Se formou no início dos anos 80 e estudou um período na Inglaterra e na Argentina. Logo que ingressou no mercado de trabalho o país enfrentou uma grave crise de desemprego, que fez com que muitos profissionais desistissem da área. Ricardo persistiu e atuou em áreas afins, como engenharia, teatro, marketing e cerâmica, o que agregou a sua formação e compreensão dos diversos setores e processos da arquitetura. Mas o foco do arquiteto sempre foi a criação do próprio escritório. Chegou em Toledo, no Paraná, em 1992, com 9 anos de formação e um amplo repertório agregado ao processo criativo.  Entre os principais projetos do arquiteto está o Teatro Municipal de Toledo, a Faculdade Sul Brasil, Planos Diretores e uma casa em Londres. Atualmente, além do escritório, Ricardo atua como professor universitário, em disciplinas como Planejamento Urbano.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.