O novo mercado fitness chega em Curitiba

O mercado fitness no Brasil apresenta desde 2007 taxas de crescimento acima de 13% ao ano e, hoje, somos o 10º maior mercado do mundo no segmento. Com o objetivo de democratizar o fitness e há pouco mais de um ano no mercado, a rede de academias Bluefit vem chamando atenção pela rápida ascensão. Em Curitiba já possui uma unidade no Shopping Palladium e outras duas serão inauguradas em breve, no Shopping Müller e no bairro Batel.

Formada por um grupo de especialistas, entre eles Fernando Nero – CEO da empresa – com experiência de 17 anos no mercado, além do fundo de investimentos Leste Capital, liderado por Emmanuel Herman – ex Vice-Presidente do Banco BTG Pactual – a Bluefit nasceu em Santo André, SP, com sua primeira e, hoje, menor unidade.

Seguindo o modelo Low Cost, com mensalidades a partir de R$ 79,90 e academias acima de 1000m², a rede possui atualmente 9 unidades já atuando no ABC, São Paulo Capital, São Vicente, Joinville e Curitiba, além de 10 unidades em obras para serem entregues até o primeiro semestre de 2017. O plano de expansão abrange as principais capitais do país e inclui a inauguração de 200 unidades, com projeção de faturamento de R$50milhões no ano.

Para a Bluefit, o famoso boca-a-boca ainda é a maior publicidade. “Uma academia com custo acessível e estrutura qualificada, não precisa de muita propaganda para se vender. Nosso lema é levar qualidade de vida para todos e o público responde com adesão”, ressalta Nero.

Seus diferenciais em relação à concorrência vão além da estrutura. Com algumas unidades 24horas, a Bluefit apresenta uma grade de aulas que agrada a todos os estilos como alongamento, localizada, funcional, pilates, zumba, muay-thai e jiu-jitsu, esta última ministrada com a premiada equipe Cícero Costha. O aperfeiçoamento no serviço também conta com profissionais capacitados fulltime para atendimento aos alunos da musculação e uma equipe para cuidar de todo o suporte físico e nutricional.

A brecha no mercado não foi sem querer. Fernando atuou como gestor em empresas do segmento fitness e como consultor na implementação de academias corporativas e programas de qualidade de vida em mais de 150 empresas de grande porte espalhadas pelo Brasil. Junto com ele, outro sócio de grande importância é o Roberto Rautenberg, também especialista do ramo de academias de longa data. Hoje atua como Diretor de Expansão da rede. E foi essa experiência que levou o grupo a inaugurar a Bluefit e seguir com um plano de investimento para expansão da rede: abrir entrada para o modelo de sócio – investidor e sócio-gerente, com quotas a partir de R$ 300.000,00 a R$ 2milhões.

“O investidor pode ter um cargo de diretor da unidade, e ser remunerado por isso, ou apenas retirar os dividendos, sem qualquer função executiva. Em ambos os modelos, a Bluefit entra como sócia junto com ele”, ressalta o CEO da empresa.

Este modelo já é referência por aqui em empresas de outros ramos, mas para o setor de fitness é inovador. O investidor precisa de uma reação rápida do mercado, assim como o cliente necessita de um valor mais acessível, por isso a rede decidiu adaptar o modelo para caber no bolso de ambos. E, quando falamos de um baixo aporte para um formato de sócio-gerente, é possível atingir muito mais investidores com resultados mensuráveis, pois o comprometimento é palpável.

“O antigo ditado ‘o olho do dono é que engorda o gado’ continua valendo, é um resgate do modelo de negócio original, em que estamos preocupados em manter a qualidade acima de tudo”, ressalta Nero.

 

www.bluefit.com.br

Robertson Luz |

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.