Problemas graves na coluna podem ser tratados com cirurgias minimamente invasivas

As cirurgias da coluna são conhecidas por sua complexidade e longo tempo de recuperação. Mas, alguns problemas podem ser solucionados com cirurgias minimamente invasivas, com pequenas incisões e que permitem uma recuperação mais rápida permitindo que as pessoas voltem à rotina normal.

Atualmente, a ortopedia considera que os tratamentos conservadores (fisioterapia e outras terapias) são sempre a primeira opção para tratar os pacientes. As cirurgias são indicadas dependendo da gravidade do problema e quando os remédios e outros tratamentos não surtem mais efeito diminuindo muito a qualidade de vida do paciente.

A Epiduroscopia, por exemplo, é uma das técnicas de cirurgia minamente invasiva. Ela é indicada para os casos crônicos de dores intensas causadas por inflamações e infecções próximas á raiz nervosa da coluna, para tratar as síndromes dolorosas depois de cirurgia aberta, para diminuir a ingestão de medicamentos analgésicos, para doença degenerativa dos discos da coluna vertebral, dentre outros.

“Por meio de um corte de 5 mm é inserido um cateter guiado com uma câmera que permite ao médico identificar a origem e tratar a dor intensa. O paciente tem alta no mesmo dia e em dois ou três dias a pessoa já volta para sua rotina normal. Uma cirurgia deste tipo diminui os riscos de infecção hospitalar e complicações sérias”, explica ortopedista especialista em coluna e membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Maurício Marteleto.

Por meio do cateter, inserido próximo ao cóccix (último osso da coluna), o médico pode injetar anestésicos, anti-inflamatórios e até mesmo o gás ozônio para tratar o problema. A epiduroscopia é ideal para extinguir fibroses que se formam em torno das raízes nervosas da coluna depois de intervenções cirúrgicas ou traumas graves.

Dr. Mauricio Marteleto – www.mauriciomarteleto.com.br/


Dr. Maurício Marteleto Filho é médico ortopedista formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, é membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, SBOT. Há 10 anos, o Dr. Mauricio atua na área de cirurgia da coluna vertebral, sendo membro efetivo da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), Sociedade Brasileira de Patologia da Coluna Vertebral (SBPCV) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente. <producao@ageimagem.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.