Últimas

Saiba quem são os sabotadores da dieta, quantos são e como vencê-los

Nos últimos quatro anos, o índice de sobrepeso e obesidade medido na população brasileira cresceu. Tratado como um tema secundário, hoje é visto com preocupação por especialistas. De acordo com o relatório recente sobre segurança alimentar na América Latina, realizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), o sobrepeso entre adultos brasileiros passou de 51,1% em 2010 para 54,1% em 2014. A obesidade na população já está na casa dos 20%, sendo que em 2010 a taxa era de 17,8%. Este crescimento também tem afetado, nas últimas décadas, as crianças menores de cinco anos: estima-se que 7,3% dessa faixa etária estão acima do peso.

Mas por quê os brasileiros estão engordando? Sedentarismo e consumo de alimentos industrializados estão entre os principais vilões. Para Gladia Bernardi, nutricionista e desenvolvedora do programa de coach Emagrecimento Consciente, pessoas também deixam de emagrecer por conta de fatores ligados à mente. “Existe a necessidade de compensar algo perdido na vida deste indivíduo, o que faz buscar na comida o preenchimento desta lacuna, tratada como objeto de vício”.

Para Gladia, a pessoa que se autossabota não consegue perder peso. “Com base em estudos e pesquisas descobrimos que existem 21 sabotadores que contribuem Para que a pessoa não perca peso e continue a engordar”.

Conheça os principais sabotadores e veja como vencê-los:

Frustração pessoal

Você já deve ter assistido algum filme em que a mocinha se esbalda na frente da televisão com chocolates e pipoca por conta de ter levado um fora no relacionamento. Ela busca suprir a ausência do seu amor por conta de uma desilusão. Este sabotador não é apenas na parte amorosa. Pode estar associado também em perdas sexuais, profissionais etc. “Para vencer este sabotador pessoa deve fazer um planejamento de vida, reorganizar suas metas de vida e melhorar a autoconfiança”.

Afeto familiar

Domingo em família, mesa farta e o prato principal é a comida feita pela avó ou mãe. A pessoa se esbalda naquele prato que remete à infância e boas lembranças. Além disso é incentivada a comer mais pela família. Para a coach, o grande desafio é negar o afeto da mãe, avó ou sogra, quebrando uma tradição e sabotando seu programa de emagrecimento.

Apego a autoimagem

É comum que quando uma pessoa começa a emagrecer, passe a estranhar a aparência, não reconhecendo a si mesma. De acordo com Gladia, por mais que ela tente emagrecer, sempre vai sentir falta da aparência anterior . “É necessário fazer uma conexão neural, estimulando a pessoa que se veja de outra forma. É possível definir o padrão ideal que seria o peso almejado. Pode ser uma foto antiga quando ela era mais magra ou até mesmo algum modelo de revista. Isso irá mudar o padrão de imagem de que existe no subconsciente”.

Se achar forte e não gordo

Este sabotador acaba agindo mais nos homens do que as mulheres, mas não é uma regra. A pessoa se acha forte, mas confundindo gordura como musculatura. “Ela vê a a magreza como sinônimo de fraqueza. Trata-se de uma crença limitante que é possível ser desfeita”.

 Ostentação da comida

Algumas pessoas criam a falsa ideia de que a gordura é sinal de abundância, principalmente aquelas que passaram por falta de comida na mesa quando criança, assim como aquelas que ostentam por considerar que a comida seja um prazer na vida. “A pessoas devem deixar de hierarquizar os valores de comer em primeiro lugar, pois existem prioridades na vida com mais valores, como atenção à família, realização profissional etc”.

Resistência à atividade física

Este sabotador é um dos mais comuns. Além de sabotar o processo de emagrecimento, também estimula ao sedentarismo. “Muitos associam a prática de exercícios físicos como um sofrimento e não como um caminho para a saúde e bem estar, chegando até dizer que existe futilidade em ter um corpo perfeito, sendo que o principal objetivo está associado à saúde e qualidade de vida”.

A opinião negativa dos outros

Pessoas gordinhas são consideradas engraçadas, seja pela sua aparência física quanto suas trapalhadas. Quando emagrecem, é muito comum que pessoas comentem negativamente de que “antes era mais interessante” ou que “está com cara de doente”. Segundo Gladia, quando este sabotador age na mente, a pessoa deixa de escutar o que ela quer e sim o que os outros querem, correndo risco de reduzir o processo de emagrecimento ou até mesmo engordar um pouco. “É necessário que a pessoa trabalhe bastante o foto de suportar a estranheza dos outros às mudanças”.

Dinheiro

É um dos principais auto sabotadores. A pessoa deixa de frequentar uma academia, ir ao psicólogo ou nutricionista pelo fato de não ter condições financeiras, quanto na verdade é apenas uma desculpa. “Quando você firma um contrato com uma academia ou mesmo profissional em emagrecimento, busque contratos que deixem você preso a proposta, para evitar que desista em poucas semanas”, explica Gladia.

*(Crédito fotos: Shutterstock)

gladiaSobre Gladia Bernardi: Nutricionista e desenvolvedora do método de coaching de Emagrecimento Consciente, baseado na neurociência, na programação neurolinguística e em coaching. Por meio de técnicas e ferramentas pioneiras, que dispensam dietas restritivas, prescrição de medicamentos ou mesmo intervenções cirúrgicas para emagrecimento, visa transformar profissionais da área da saúde, coaches e consultores independentes em especialistas em emagrecimento junto a pacientes. Atualmente, já formou mais de mil profissionais e é responsável pelo evento “Por um mundo mais leve”, que defende que qualquer pessoa pode emagrecer se estiver em harmonia com a sua mente.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com