Selantes: opção mais eficaz na prevenção da cárie infantil

Cárie é um problema sério de saúde bucal no mundo todo. De acordo com a American Dental Association (ADA), 25% das crianças e mais da metade dos adolescentes já tiveram cárie em pelo menos um dente permanente. No Brasil, estudo que analisou crianças com 12 anos de idade revelou que 56% delas tinham cárie. Isso demonstra que, apesar de sermos um dos países com maior número de cirurgiões-dentistas (280 mil), ainda precisamos melhorar muito as iniciativas de prevenção à cárie.

Uma revisão de vários estudos empreendida pela ADA, em parceria com a Academy of Pediatric Dentistry (AAPD), mostrou que a utilização de selantes na odontologia ainda contribui, de forma eficiente, na prevenção e redução dos índices de lesões de cárie na infância. A chance de uma criança submetida à aplicação de selante ter cárie é até 80% menor do que a de uma criança sem acesso a esse tipo de tratamento.  “Os selantes são o melhor recurso para prevenção de cárie em crianças e adolescentes. Apesar de serem usados há várias décadas, não surgiu nada tão efetivo como eles no combate das doenças bucais – que contribuem para mais de 51 milhões de horas de estudo perdidas a cada ano nos Estados Unidos, além de comprometer a concentração e a autoestima desses jovens”, diz o autor do estudo, Timothy Wright.

De acordo com o odontopediatra Danilo Duarte, editor da Revista da APCD – Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, os selantes são materiais à base de resina ou cimento de ionômero de vidro. Quando aplicados aos sulcos e fissuras de dentes posteriores (molares) – que são mais propensos a formar lesões de cárie – agem como uma barreira protetora, impedindo que o acúmulo de alimentos e bactérias comprometa a saúde do dente. “Não só os selantes são usados de forma preventiva, ou seja, para evitar a formação de cárie, como também podem ser usados no estágio inicial da lesão, quando há apenas uma mancha branca indicando a desmineralização do dente”.

 

Duarte explica que a cárie é, em linhas gerais, a destruição do revestimento dos dentes. “Isso ocorre por um processo de desmineralização e remineralização que acontece no esmalte, tendo como ponto de partida a presença de bactérias e resíduos alimentares aderidos na superfície dentária, envolvendo eventos fisiológicos e bioquímicos. Com o decorrer do tempo, as manchas brancas, se não tratadas, tendem a cavitar e nessa fase a criança pode sentir dor. Crianças que passam por check-up odontológico pelo menos duas vezes por ano podem se beneficiar com a ação do selante, já que ele impedirá esses pontos brancos de serem ainda mais atacados e se transformar em cárie. Grosso modo, é como impermeabilizar um tecido. Ou seja, independentemente do que atingir aquela superfície, será fácil de remover e não comprometerá o material. Com os dentes é a mesma coisa. Praticamente, dentes selados precisam somente de uma boa higiene bucal para serem mais saudáveis”.

 

Em termos de escovação, o cirurgião-dentista explica que é imprescindível higienizar bem os dentes depois das principais refeições e antes de dormir, evitando que o resto de bebidas e comidas estimule a ação das bactérias presentes na boca. “Até por volta dos oito ou dez anos, os pais devem garantir que seus filhos estejam cumprindo bem essa tarefa. Uma dica é fazer da hora da escovação um momento em família. Assim, as crianças poderão ver na prática como se faz uma higiene perfeita – desde que os pais também desenvolvam essa consciência. Mas outras coisas podem contribuir para ter dentes saudáveis, como diminuir a ingestão de doces, biscoitos e bebidas em caixinha (que costumam ser muito açucaradas), e incluir mais frutas, legumes e verduras na alimentação principal. Aumentar a ingestão de água também é fundamental, já que a água elimina restos de alimentos e bactérias nocivas à saúde bucal”.

 

Fontes:

http://www.multivu.com/players/English/7736451-american-dental-association-dental-sealants/

Dr. Danilo Duarte, cirurgião-dentista, odontopediatra e editor da Revista da APCD – Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas www.apcd.org.br

<barbara@presspagina.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.