Novo método auxilia no tratamento de varizes

Presente em quase 40% da população e ainda mais comum em mulheres, as varizes podem ser solucionadas de forma mais simples e menos invasiva para pacientes com hipertensão venosa, varizes calibrosas, úlceras de perna ou risco aumentado para o tratamento convencional (cirurgia). O procedimento disponível há pouco tempo no Brasil, é conhecido como técnica da espuma e tem como objetivo impedir a passagem do sangue na veia que está doente. “A espuma causa uma reação inflamatória no vaso, fazendo com que ele perca sua função. Esse fato não é ruim, pois essa veia estava prejudicando a circulação do paciente”, afirma o médico especialista em angiologia, cirurgia vascular e endovascular, José Fernando Macedo, do Instituto de Angiologia e Cirurgia Vascular de Curitiba (IACVC).
 
No tratamento, o especialista aplica com a seringa um medicamento em forma de espuma e injeta no vaso com o auxílio de um aparelho de ecografia vascular. O medicamento possui entre os componentes ar ambiente e gás carbônico e pode ser aplicado no próprio consultório médico. Esse procedimento permite uma recuperação mais rápida do paciente.
 
Indicação
 
O tratamento pode ser feito em pacientes com varizes calibrosas (sujeitas à complicações mais graves), úlceras abertas e varizes menores, em casos selecionados, e também em idosos. Após a injeção da espuma, algumas veias podem ficar sensíveis ao toque, mas essa sensação passa em aproximadamente 30 dias. Em alguns casos, a pele pode ficar escurecida sobre a região tratada, mas a mancha desaparece no período variável de um a três meses após o tratamento final.
 
Além da nova técnica, outra possibilidade é a retirada das varizes por meio da cirurgia tradicional, quando elas são removidas. Entre as técnicas mais recentes está o uso do endolaser e da radiofrequência para o tratamento das veias safenas.
 
Prevenção
 
Quando não tratadas, as varizes podem evoluir para problemas ainda mais sérios, como a trombose. Por isso, é essencial manter hábitos e cuidados de prevenção. “É imprescindível ter hábitos saudáveis, como a alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos. Também é importante exercitar os músculos da panturrilha quando se passa muito tempo sentado, evitar o tabagismo, controlar a pressão arterial e usar meias elásticas, se necessário, que auxiliam o retorno venoso”, ressalta Macedo.
 
Alguns dos fatores de risco não podem ser prevenidos, como a hereditariedade e, no caso das mulheres, fatores hormonais, ciclo menstrual e a gravidez. Mas também são fatores causadores de varizes a obesidade e o sedentarismo. É importante visitar regularmente o médico angiologista para o acompanhamento e também estar atento à sintomas funcionais como o inchaço nos tornozelos, dor, sensação de cansaço e peso nas pernas, principalmente no final do dia.
 
Sobre o IACVC
O Instituto de Angiologia e Cirurgia Vascular de Curitiba (IACVC) foi fundado há 34 anos pelo Dr. José Fernando Macedo, especialista em angiologia, cirurgia vascular e endovascular. Hoje, junto ao Dr. Rodrigo Macedo, também especialista em cirurgia vascular e endovascular, e à Dra. Gabrielle Macedo, nutricionista com especialização em nutrição clínica, o instituto oferece orientações e tratamentos para problemas e doenças vasculares, além de atendimento voltado ao bem-estar e alimentação. Mais detalhes sobre o IACVC estão no site www.iacvc.com.br. <laurae@centrodecomunicacao.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.