Acrefi debate cenário macroeconômico em Curitiba na terça-feira (23)

A Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (ACREFI) realiza, na próxima terça-feira (23/05), das 9h às 11h40, na ACP – Associação Comercial do Paraná (Rua XV de Novembro, 621), evento gratuito que discutirá o cenário macroeconômico nacional.

Além do presidente da entidade, Hilgo Gonçalves, também estarão Gláucio Geara, Presidente da ACP (Associação Comercial do Paraná), João André C. M. Pereira, Chefe de Gabinete do Diretor de Regulação do Banco Central do Brasil e   Gustavo Loyola
Sócio da Tendências Consultoria Integrada e ex-presidente do Banco Central do Brasil.

Segundo o Presidente da ACREFI, Hilgo Gonçalves, o encontro contará com palestras que serão ministradas por  Cláudio Ferro,Diretor Executivo do Poupa Brasil; Marcus Lavorato, Gerente de Relações Institucionais da B3; Mauro Melo CEO e Diretor Comercial da Credilink;  João André C. M. Pereira Chefe de Gabinete do Diretor de Regulação do Banco Central do Brasil e  Gustavo Loyola Sócio da Tendências Consultoria Integrada e ex-presidente do Banco Central do Brasil. O evento também contará com a participação do presidente da ACP, empresário Gláucio Geara e  de Nelson Arns Neumann, Coordenador Nacional Adjunto da Pastoral da Criança.

Em entrevista exclusiva ao jornalista Luiz Augusto Juk, do jornal “Diário Indústria & Comércio”, o  Presidente da ACREFI, Hilgo Gonçalves  disse que “o  momento atual tem sido favorável para o cenário econômico.  O mês de junho poderá trazer mudança positiva na percepção dos agentes econômicos, um  “ponto de virada da economia”.

Hilgo Gonçalves e o jornalista Luiz Augusto Juk

E acrescenta:“ Será um momento de redução do risco, melhora de expectativas, confiança crescente; gerando efeito favorável de incremento no gradual ritmo de recuperação da economia. Esta tem sido a crescente precificação e expectativa de mercado.

De acordo com o presidente da ACREFI “No segundo trimestre, em particular neste mês de maio, já surgem sinais de varejo e de outros setores indicando que a economia deverá superar seu pior momento e retomar crescimento gradual, embora ainda instável.”

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.