Anvisa aprova o uso do medicamento Entresto® no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira, 8 de maio, o Entresto® (sacubitril/valsartana), medicamento inovador para insuficiência cardíaca (IC). Com a aprovação, os brasileiros terão acesso a uma nova classe de medicamento, inibidor de neprilisina e bloqueador do receptor de angiotensina (INRA), que demonstrou redução de 20% nas mortes cardiovasculares de pacientes com insuficiência cardíaca e diminuição de 21% nas internações1.

Esses resultados foram obtidos após a avaliação clínica do Entresto no estudo PARADIGM-HF. O maior estudo de Insuficiência cardíaca já realizado, com mais de 8 mil pacientes, o estudo também evidenciou que o medicamento foi capaz de beneficiar tanto pacientes que apresentam poucos ou muitos sintomas, como também aqueles que sofreram hospitalizações recentes.1 Entresto® mostrou também reduzir em 20% o risco de morte de súbita, uma das principais causas de morte por IC.1 Além da diminuição do risco de mortalidade e hospitalização, o medicamento realizou uma melhora na qualidade de vida dos pacientes com insuficiência cardíaca3.

Entresto® já é endossado por diretrizes internacionais europeias e americanas, com alto nível de recomendação para terapia alternativa aos pacientes sintomáticos.4,5

 

A Insuficiência cardíaca

A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração não se contrai com força suficiente para bombear a quantidade necessária de sangue para o corpo4 e atinge cerca de 3 milhões de pessoas no Brasil6,2. Dados do governo, DataSUS 2015, registraram 219 mil internações por insuficiência cardíaca. O custo global da insuficiência cardíaca para a economia do mundo é de US$ 108 bilhões por ano7. Para o Brasil, o impacto na economia chega a ser de R$ 22 bilhões.2

A insuficiência cardíaca é a principal causa de hospitalização em pessoas acima de 65 anos, e a taxa de mortalidade é maior que vários tipos de câncer.8 Uma pesquisa do Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) traçou o perfil dos brasileiros com insuficiência cardíaca. Entre os principais fatores de risco no país estão: pressão alta (70%), diabetes (34%), histórico de infarto (27%) e insuficiência renal crônica (24%). Essa doença é mais comum em pessoas com mais de 65 anos e acima do peso. Apesar dos homens apresentarem mundialmente maior prevalência da doença, no Brasil, segundo o DEIC, 60% dos pacientes diagnosticados são mulheres acima dos 60 anos.9

 

Alguns sintomas da insuficiência cardíaca:

  • Falta de ar e cansaço para atividades físicas10
  • Depressão ou ansiedade10
  • Sapatos que não cabem mais: inchaços nos tornozelos e pés são sinais comuns10
  • Utilizar mais travesseiros para dormir: para compensar a dificuldade de respirar deitado causada pelo acúmulo de fluído nos pulmões10
  • Dificuldade para dormir: muitas pessoas com insuficiência cardíaca têm apneia do sono, o que pode interromper a respiração normal10
  • Frios constantes nas mãos e pés: os corpos dos pacientes com insuficiência cardíaca acabam direcionando o sangue quente disponível para o cérebro e outros órgãos vitais10
  • Tosse incontrolável: tosse ou chiado persistente pode ser causado pela insuficiência cardíaca como resultado de acúmulo de fluídos nos pulmões11

 

Para saber mais acesse: https://portal.novartis.com.br/insuficiencia-cardiaca.

 

Sobre o Entresto®

O Entresto® (sacubitril/valsartana) é o primeiro medicamento da classe terapêutica dos inibidores da neprilisina e dos receptores de angiotensina (INRA) que atua de diferentes formas sobre os sistemas neuro-hormonais do coração. Um comprimido administrado duas vezes ao dia que otimiza as defesas naturais do organismo contra a insuficiência cardíaca.12

Resultados do estudo PARADIGM-HF, com 8.442 pacientes, mostrou redução comparado ao e nos seguintes critérios:13

– Redução de risco de morte cardiovascular em 20%
– Redução de internação por insuficiência cardíaca em 21%
– Redução de risco de morte por todas as causas em 16%

– Redução do risco de morte súbita em 20%

 

Sobre Novartis

A Novartis oferece soluções inovadoras em saúde que atendam as necessidades dos pacientes e da população. Com sede na Basileia, na Suíça, a Novartis conta com um diversificado portfólio de produtos para atender estas demandas: medicamentos inovadores, genéricos e biossimilares e cuidados com os olhos. A Novartis é a única empresa global com liderança nessas áreas. Em 2016, as operações do Grupo atingiram vendas líquidas de US$ 48,5 bilhões e cerca de US$ 9 bilhões foram investidos em pesquisa e desenvolvimento. As empresas do Grupo Novartis empregam aproximadamente 118.000 colaboradores. Os produtos Novartis estão presentes em aproximadamente 155 países ao redor do mundo. Para mais informações por favor veja o site www.novartis.com

 

Referências

 

  1. McMurray JJV, Packer M, Desai AS, et al. Angiotensin–Neprilysin Inhibition versus Enalapril in Heart Failure.N Engl J Med 2014;371:993-1004
  2. Stevens B, Pezzullo L, Verdian L et al. The Economic Burden of Heart Diseases in Brazil. World Congress of Cardiology & Cardiovascular Health 2016 Poster code: PS023.
  3. Packer M, McMurray JJ, Desai AS, et al. Angiotensin Receptor Neprilysin Inhibition Compared With Enalapril on the Risk of Clinical Progression in Surviving Patients With Heart Failure. Circulation 2015;131:54–61
  4. Ponikowski P, Voors AA, Anker SD, et al. 2016 ESC Guidelines for the diagnosis and treatment of acute and chronic heart failure: The Task Force for the diagnosis and treatment of acute and chronic heart failure of the European Society of Cardiology (ESC)Developed with the special contribution of the Heart Failure Association (HFA) of the ESC. Eur Heart J. 2016 Jul 14;37(27):2129-200.
  5. Yancy CW, Jessup M, Bozkurt B, et al. 2016 ACC/AHA/HFSA Focused Update on New Pharmacological Therapy for Heart Failure: An Update of the 2013 ACCF/AHA Guideline for the Management of Heart Failure: A Report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Clinical Practice Guidelines and the Heart Failure Society of America. J Am Coll Cardiol. 2016 Sep 27;68(13):1476-88.
  6. Ejection Fraction Heart Failure Measurement. American Heart Association Website. http://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/HeartFailure/SymptomsDiagnosisofHeartFailure/Ejection-Fraction-Heart-Failure-Measurement_UCM_306339_Article.jsp. Published March 24, 2015. Accessed March 10, 2016.
  7. Cook C, Cole G, Asaria P, et al. The annual global economic burden of heart failure. Int J Cardiol. 2014 Feb 15;171(3):368-76.
  8. Ministério da Saúde – Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) – 2013
  9. Albuquerque DC, Neto JDS, Bacal F, et al. I Brazilian Registry of Heart Failure – Clinical Aspects, Care Quality and Hospitalization Outcomes. Arq Bras Cardiol. 2015; 104(6):433-442.
  10. Heart Failure Matters. Understanding Heart Failure. Symptoms of Heart Failure. Disponível em: http://www.heartfailurematters.org/en_GB/Understanding-heart-failure/Symptoms-of-heart-failure. Acesso em: 04 Abr 2017
  11. Heart Failure Matters. Warning signs. Cough. Disponível em; http://www.heartfailurematters.org/en_GB/Warning-signs/Cough. Acesso em: 04 Abr 2017.
  12. Langenickel TH & Dole WP. Angiotensin receptor-neprilysin inhibition with LCZ696: a novel approach for the treatment of heart failure. Drug Discovery Today: Therapeutic Strategies.2012, Vol 9. No.4 p. e131-e139.
  13. McMurray JJV, Packer M, Desai AS, et al. Angiotensin-Neprilysin Inhibition versus Enalapril in Heart Failure. N Engl J Med 2014;371:993-1004.

<patricia.coutinho@conteudonet.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.