Carreira no varejo: o que levar em consideração?

Disponibilidade, dinamismo e força de vontade contribuem para uma longa e brilhante trajetória profissional

 

Diferentemente de outros setores, um grande número de profissionais que atua no varejo não considera o segmento como uma carreira a ser seguida. Para muitos, crescer no mercado de trabalho e/ou ganhar mais só será possível ao migrarem para outras áreas.

No entanto, para abrir novas lojas e continuar a aumentar as suas vendas, o varejo precisa que profissionais capacitados que façam parte das suas equipes. Para que isto seja possível, alguns aspectos precisam ser levados em consideração. “O setor varejista oferece oportunidades de carreira aos mais variados perfis, seja para quem não tem formação superior ou mesmo os graduados em administração de empresas, economia, engenharia ou marketing. Ou, ainda, possua pós-graduação ou MBA em varejo e/ou gestão de negócios” explica a gestora comercial da Academia de Varejo, Renata Cherichella.

Embora o Brasil ainda esteja vivenciando os reflexos da crise econômica, o varejo continua sendo um grande gerador de empregos no país e, segundo um estudo realizado pela empresa de recrutamento “Michael Page”, 57% dos profissionais do segmento varejista brasileiro tiveram aumento salarial acima da média em 2016.

“O motivo para isto é a demanda. Sete em cada dez gerentes de Recursos Humanos relatam ter dificuldades na contratação de mão de obra qualificada. Por outro lado, profissionais com formação em varejo, com noções de lucros e perdas, bem como conhecimento em uma língua estrangeira são disputados a peso de ouro”, complementa Renata.

Além disso, quem planeja trabalhar neste setor precisa estar consciente de que terá de lidar com públicos distintos: do mais gentil aquele um pouco mais rude. E, neste contexto, é preciso ter bastante jogo de cintura. “Desenvoltura e educação são primordiais para lidar com as pessoas da melhor maneira possível, sobretudo, naquelas situações em que o colaborador é pego de surpresa”, afirma a diretora de conteúdo da Academia de Varejo, Patricia Cotti.

Renata destaca, ainda, que quem deseja seguir carreira no varejo precisa ter disposição para trabalhar, pois o desempenho profissional é avaliado constantemente. “Outras características são mostrar-se prestativo, disposto a ajudar e, principalmente, a aprender. E, assim como em todas as áreas do mercado de trabalho, manter um bom relacionamento com os colegas e gestores é de extrema importância”, aconselha.

“Também não podemos esquecer de que é preciso ter muita dedicação. Esta é a principal característica para quem deseja seguir em frente qualquer que seja a profissão. Disponibilidade, pontualidade e força de vontade contribuem para uma longa e brilhante trajetória profissional”, finaliza Renata Cherichella.

 

Sobre a Academia de Varejo

A Academia de Varejo foi criada por professores renomados, com ampla experiência no ensino superior e na formação de gestores e executivos, tendo como base o conhecimento adquirido em mais de duas décadas de pesquisas, indicadores e programas de desenvolvimento.

Presente desde a formação até a pós-graduação, a Academia de Varejo une a expertise de sua equipe técnica à prática dos setores em que atua, sempre com foco e direcionamento para as discussões das tendências e desenvolvimento profissional voltado à tomada de decisão.

Em parceria com o IBEVAR e com o apoio de seus mais de 500 associados, a Academia de Varejo está entre as melhores e mais completas escolas de varejo, distribuição e consumo de São Paulo. O centro de estudos oferece MBA, pós-graduação, formação de gerentes em diversos setores e cursos de gestão nos segmentos de marketing e varejista.

Com a proposta de treinar e desenvolver competências técnicas e gerenciais, a instituição propõe ao mercado um novo conceito em escola de negócios, oferecendo programas personalizados e com o fomento da troca de ideias.

ubs.edu.br/academia-de-varejo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.