Dia da Família: escolas reforçam a importância do diálogo e da convivência

O formato de família com pai, mãe e filhos, que representava a quase totalidade das famílias do século passado, já não se encaixa mais no atual modelo nuclear das famílias brasileiras. A mudança foi reconhecida pelo dicionário Houaiss, que redefiniu o significado da palavra família, deixando-o mais próximo da realidade e abrangente: "Núcleo social de pessoas unidas por laços afetivos, que geralmente compartilham o mesmo espaço e mantêm entre si uma relação solidária".

Essa transformação nos modelos familiares levou os educadores e as instituições de ensino a repensarem a forma de dialogar e homenagear os membros da família dos alunos. Por isso, o Colégio Positivo optou por comemorar o Dia da Família neste sábado (6), já que a data é lembrada no dia 15 de maio. Este ano, a proposta do evento é explorar os cinco sentidos do corpo humano. Durante o dia, será realizado um circuito de oficinas, relacionado ao tato, olfato, audição, paladar e visão.

Para o diretor-geral do Colégio Positivo, Celso Hartmann, é um momento para celebrar o afeto, o amor e a união que definem a família, já que a estrutura familiar é a base para o desenvolvimento das crianças. “Por meio do encontro, busca-se ampliar a convivência e cumplicidade entre os alunos, seus pais, avós e demais familiares, oportunizando a troca de experiências e vivências marcantes e divertidas, que ficarão guardadas na memória e serão lembradas na vida adulta”, afirma.

A evolução do modelo familiar

A sociedade brasileira do século passado, tutelada pelo código civil de 1916, trazia uma visão diferente em relação à família, em função do contexto social da época. A família matrimonializada, patriarcal e patrimonialista apresentava distinção entre os membros. As pessoas unidas sem os laços matrimoniais e os filhos nascidos dessas uniões sofriam discriminação.

Com a Constituição Federal de 1988, surgiu um novo conceito de família, denominado eudemonista, que prima pelo afeto entre os integrantes. O crescimento da participação da mulher no mercado de trabalho, no final do século XX, fez com que as famílias passassem de um modelo no qual o número de integrantes era muito grande, para outro nuclear, formado apenas por pai, mãe e filhos. Atualmente, a família pós-nuclear é pluralística, para a qual a forma não importa – e sim o afeto, a cooperação entre seus membros, independente de sexo e de padrões pré-estabelecidos.

 

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende quatro unidades na cidade de Curitiba, nas quais nasceu e se desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental e o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Os alunos têm à sua disposição atividades complementares esportivas e culturais, assim como aulas de Língua Inglesa diferenciadas. Em 2013, foi lançado o Colégio Positivo Internacional, que atende alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, com uma proposta de aprendizado internacional.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Talvez você se interesse por estes artigos

José Pio Martins* Segundo dados do IBGE, o número de brasileiros abaixo da linha da pobreza (os que vivem com até US$ 5,50 por dia,...
Fechar Menu