Dia Mundial Sem Tabaco faz alerta sobre as doenças causadas pelo cigarro

Especialista alerta sobre o risco de câncer em fumantes passivos

Na quarta, 31 de maio, é lembrado o Dia Mundial Sem Tabaco, uma data destinada à discussão de medidas para reduzir o consumo do cigarro e conscientizar sobre os efeitos prejudiciais causados por ele. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que cerca de 6 milhões de pessoas morrem por ano pelo uso do tabaco e a maioria vive em países de baixa e média renda.

De acordo com o oncologista clínico do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC)/Grupo Oncoclínicas, Dr. Roger Akira Shiomi, o tabagismo é, mundialmente, o principal fator de risco evitável de câncer. “As chances de não morrer em decorrência do cigarro são melhores quando os tabagistas deixam de fumar antes dos 40 anos”, afirma.

Ele lembra que o hábito está ligado a doenças como tuberculose, infecções respiratórias, impotência sexual, úlcera gastrointestinal, osteoporose, catarata e pode levar até a infertilidade. “As toxinas do cigarro podem prejudicar também quem convive com um tabagista, o qual se torna em um fumante passivo”, alerta.

Segundo a OMS, o tabagismo passivo é a terceira maior causa de morte que poderia ser evitada no mundo, atrás apenas do tabagismo ativo e do consumo excessivo de álcool. “Um estudo americano realizado na década de 1990 revelou que as pessoas que ficaram expostas à fumaça do cigarro em casa, durante a infância e adolescência, a uma quantidade equivalente a de um tabagista que fumasse três carteiras de cigarro (60 unidades) ao dia por oito anos, apresentaram o dobro de risco de câncer de pulmão em relação aos que não tiveram esse tipo de proximidade”, salienta o médico. Outro estudo americano mostra ainda que em caso de pais tabagistas, o risco de câncer relacionado ao sangue e à medula óssea (leucemias) em crianças aumenta cerca de duas a cinco vezes.

Entre os tipos de cânceres causados pelo uso do tabaco estão os relacionados ao aparelho digestivo (esôfago, estômago, colorretal, pâncreas e fígado), cabeça e pescoço, sistema urinário (rins, bexiga e ureter – canal que conduz a urina do rim até a bexiga), cânceres de pulmão, pleura (membrana que envolve os pulmões), pênis, colo do útero e leucemia mieloide (medula óssea). “Há estudos que também relacionam os cânceres de próstata, mama e alguns tipos de câncer de pele”, enumera Dr. Roger Akira Shiomi.

Para os interessados em parar de fumar, o Ministério de Saúde mantém o Disque Saúde – número 136 – com recomendações gerais sobre combate a doenças. Caso o paciente deseje entrar no programa anti-tabagismo do SUS, a orientação é de procurar a uma unidade básica de saúde de sua cidade para obter mais informações.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.