Ginecologista dá dicas sobre como evitar a infecção urinária

Ardência ao fazer xixi, vontade constante de ir ao banheiro, urina escura ou sanguinolenta e dor pélvica são alguns dos sintomas da infecção de urinária. É uma doença que afeta cerca de 80% das mulheres e se dá, na maioria dos casos, por bactérias presentes na flora intestinal, que quando há um desequilíbrio na imunidade feminina, acabam colonizando o sistema urinário.
Infecções ginecológicas não tratadas também podem levar a inflamação da uretra e atingir a bexiga. Algumas mulheres podem apresentar bactérias no trato urinário e não desenvolverem infecção urinária, que são chamadas de ‘bacteriúrias assintomáticas’. Segundo a ginecologista e obstetra de São Paulo, Maria Elisa Noriler, é preciso ter precaução com esses tipos de casos na gestação, pois pode ocorrer uma infecção grave nos rins, chamada de pielonefrite, onde a taxa de morbidade é alta.
Existem três faixas etárias de prevalência de infecção urinária: crianças com até seis anos de idade, mulher jovem com vida sexual ativa e adulto com mais de sessenta anos, pois nesta última faixa etária, em que há mulheres na menopausa, ocorre delas não terem mais a proteção do estrogênio. A dor da infecção também pode estar relacionada a eliminação de cálculo pelo trajeto da uretra, canal que sai da bexiga e se exterioriza no períneo.
O quadro clínico pode ser comprovado pelo exame simples de urina e até urocultura. Em casos de infecção urinária de repetição, três ou mais episódios/ano, há a necessidade de uma avaliação melhor. É recomendado que a paciente faça alguns exames mais específicos como: ultrassonografia do trato urinário ou até tomografia e cintilografia de vias urinárias.
O tratamento da infecção urinária é feito com antibióticos e pode-se usar em conjunto com analgésicos. Alguns casos mais complicados, onde envolvem infecção dos rins, há a necessidade de fazer o uso de antibióticos endovenoso dentro de ambiente hospitalar. “É importante ressaltar que, em caso de qualquer um dos sintomas, a pessoa deve procurar um especialista para obter o diagnóstico correto e realizar o tratamento adequado”, orienta.
Maria Elisa dá algumas dicas para evitar a infecção de urina, confira:
– Ter uma higiene íntima adequada;
– Fazer uma boa limpeza do períneo após as evacuações;
– Tomar no mínimo dois litros de água diariamente
– Ter o hábito de urinar com frequência;
– Urinar sempre após a relação sexual;
– Nas mulheres menopausadas, que não têm contraindicação para terapia hormonal, usar cremes com estrogênios na mucosa vaginal;
– Manter o estado emocional equilibrado, pois indiretamente a imunidade se mantém boa.
Sobre a especialista: Dra. Maria Elisa Noriler é Especialista em Ginecologia e Obstetrícia. É Médica Preceptora de Ginecologia e responsável pelo setor de Ginecologia Endócrina InfantoPuberal e Climatério do Hospital Municipal Maternidade Escola de Vila Nova Cachoeirinha desde fevereiro de 2010. Facebook/dra.mariaelisanoriler
<atendimento@medellincomunicacao.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.