Oncologista do HCor alerta para o aumento do câncer colorretal entre os jovens

Um estudo divulgado pela Sociedade Americana de Câncer revela que o número de casos de tumor colorretal (de intestino grosso e reto) está aumentando entre os jovens – antes mais comum entre idosos. De cada 10 pacientes diagnosticados com essa doença, três têm menos de 55 anos. Entre os motivos, estão a obesidade e o estilo de vida sedentário, que fazem com que os especialistas sugiram a antecipação da recomendação para exames de detecção dos tumores.

A tendência entre os jovens serve de termômetro para o futuro da doença, segundo relatou uma pesquisadora da Sociedade Americana de Câncer e líder do estudo publicado no periódico “Journal of the National Cancer Institute”. Os pesquisadores analisaram 490.305 casos diagnosticados em pacientes com mais de 20 anos nos Estados Unidos, entre 1974 e 2013. Em geral, a incidência está em declínio desde a metade da década de 1980, graças a novas técnicas de detecção, mas entre adultos de 20 a 39 anos, a taxa de incidência de câncer de intestino vem crescendo entre 1% e 2,4% anualmente desde a década de 1980. E na faixa etária dos 40 aos 54 anos, a variação anual tem sido entre 0,5% e 1,3% desde meados da década de 1990.

O aumento nas taxas de incidência de câncer no reto é ainda mais evidente, com variação média anual de 3,2% entre 1974 e 2013 para adultos na faixa etária entre 20 e 29 anos. Entre 40 e 54 anos, o crescimento foi de 2% ao ano desde a década de 1990. Em 2013, 29% dos casos diagnosticados da doença foram em pacientes com menos de 55 anos, contra percentual de 15% registrado em 1990.

Para o oncologista do HCor (Hospital do Coração), Dr. Auro Del Giglio, são necessárias campanhas educacionais para alertar o público em geral sobre esse aumento e, assim, reduzir atrasos no diagnóstico, que são muito prevalentes entre os jovens, além de incentivar uma alimentação mais saudável e estilos de vida mais ativos para reverter essa tendência.

“O câncer colorretal está diretamente relacionado à alimentação e à obesidade. Um outro estudo, publicado no “British Medical Journal”, indica que cada 5kg/m2 ganhos no índice de massa corporal representam um aumento de 9% no risco de desenvolver câncer colorretal entre homens. “Esta pode ser uma das explicações para o aumento da incidência da doença entre a população mais jovem, uma tendência que também acontece no Brasil”, esclarece Dr. Auro.

A obesidade está relacionada ao desenvolvimento de vários tumores, em particular os cânceres do intestino. Mas a obesidade não é uma causa em si, ela é consequência dos maus hábitos alimentares e do estilo de vida sedentário, que se tornou padrão nas últimas décadas. A obesidade já é considerada uma epidemia global. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em 1995 existiam no mundo cerca de 200 milhões de pessoas obesas. Em 2014, eram 1,9 bilhão de pessoas com sobrepeso, sendo 600 milhões delas obesas. (rita@targetsp.com.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.