Radiologista orienta como identificar a endometriose precocemente

A endometriose é uma das principais causas que levam à infertilidade. A doença, que segundo estimativa pode afetar até 7 milhões de brasileiras, ocorre quando o endométrio, tecido que reveste a parede interna do útero, é implantado fora do órgão. Estudos mostram que ela está presente em 10% a 15 % das mulheres em idade reprodutiva e até 50% daquelas com infertilidade. Mas o problema pode ser superado se for tratado.

“É importante conhecer e suspeitar da doença, tentando identificá-la precocemente para instituir o tratamento mais adequado a cada caso”, orienta a radiologista Luciana Cristina Pasquini Raiza, médica responsável pela ultrassonografia geral do RDO Diagnósticos Médicos. Para isso, o diagnóstico por imagem, como a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal, é essencial na avaliação da doença. “Os métodos de imagem têm evoluído bastante, permitindo estimar a extensão e localização da doença, auxiliando no tratamento e no planejamento cirúrgico, quando necessário.”

O que é a doença: caracterizada pela presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina, a endometriose tem três tipos: superficial, profunda e endometrioma (forma ovariana). A Dra. Luciana explica que os exames de imagem são capazes de identificar com precisão a forma ovariana e a endometriose profunda. A superficial é apenas identificada pela cirurgia.

Os sintomas: os principais sintomas são dismenorreia (cólica menstrual), dor pélvica crônica (dor pélvica não relacionada ao ciclo menstrual há pelo menos 6 meses), dispareunia de profundidade (dor durante a relação sexual no fundo da vagina), alterações intestinais e/ou urinárias cíclicas, ou seja, que ocorrem durante o período menstrual. “A causa da endometriose ainda não é bem estabelecida, sendo assim não há também prevenção”, afirma a Dra. Luciana.

O diagnóstico: os principais exames para avaliação da endometriose são a ultrassonografia transvaginal e a ressonância magnética. “Ambos vão identificar lesões de endometriose profunda. No entanto, a ultrassonografia é melhor que a ressonância magnética na detecção principalmente das lesões intestinais e de pequenas lesões. A ultrassonografia tem boa capacidade na detecção das lesões nos principais sítios acometidos da pelve, que são a região atrás do útero, ovários, intestino e bexiga”, conclui a radiologista.

Sobre a Dra. Luciana Cristina Pasquini Raiza

Graduada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), em 2002;

Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo Hospital das Clínicas da FMUSP, de 2003 a 2005;

Residência médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem no InRad – HC-FMUSP, de 2007 a 2009;

Estágio de Complementação Especializada em Radiologia do Abdome e Pelve no InRad – HC-FMUSP, em 2010;

Experiência na área de Medicina, Diagnóstico por Imagem, Ultrassonografia, Radiologia Abdominal e da Pelve, com ênfase na pelve feminina e endometriose;

Médica do Grupo de Ultrassonografia e do Grupo de Radiologia Abdominal do Hospital Israelita Albert Einstein;

Médica responsável pela Ultrassonografia Geral do RDO e atua no diagnóstico da endometriose com preparação intestinal.

Médica integrante da comissão nacional especializada da FEBRASGO na área de ultrassonografia em GO.

Sobre o RDO Diagnósticos Médicos

Trata-se de um moderno centro de diagnósticos, que oferece atendimento totalmente personalizado e individualizado. Entre suas especialidades, o RDO realiza exames nas áreas de medicina laboratorial, incluindo imunologia, genética, medicina fetal, endoscopia digestiva, histeroscopia e medicina ultrassonográfica.

O diferencial do RDO Diagnósticos Médicos é a investigação dos aspectos imunológicos da infertilidade em reprodução humana, principalmente os casos de perdas gestacionais repetidas, abortos recorrentes, falhas de implantação embrionária em ciclos de fertilização assistida (FIV/ICSI), infertilidade sem causa aparente (ISCA), nova área da medicina reprodutiva que contribui para o auxílio casais que desejam ter filhos.

Ricardo de Oliveira, diretor e fundador do RDO, é médico pela Faculdade de Ciências Medicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, uniu sua experiência de mais de 40 anos em medicina Laboratorial a uma equipe seleta de profissionais titulados em altos níveis de suas especialidades, para oferecer o que há de melhor e mais moderno em medicina diagnóstica.

Foi fundador, diretor e vice-presidente executivo de pesquisa e desenvolvimento da Hemagen Diagnostics, INC,9033 Red Branch Rd, Columbia, MD 21045, EUA, entre 1985-2000.

Atuou como diretor nos laboratórios e como professor convidado na Boston University School of Medicine, MA 02215, EUA (1984-1985); Professor da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo; Diretor dos Laboratórios Centrais do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade S. Paulo e Hospital do Câncer (A. C. Camargo), São Paulo. Tem mais de 100 trabalhos científicos e 500 “Abstracts” publicados. (anavinhas@targetsp.com.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.