Tecnologia da Abbott reduz a duração de episódios de hipo e hiperglicemia em pessoas com diabetes

A Abbott, empresa global de cuidados para saúde, realizou um levantamento com mais de 50.000 pessoas com diabetes na Europa2 que utilizam o sistema FreeStyle® Libre e constatou que estes usuários estiveram menos tempo em episódios de hipoglicemia (glicemia baixa) ou hiperglicemia (glicemia elevada), além de melhorarem os seus níveis médios de glicose. O levantamento também mostrou que essas pessoas verificam em média 16 vezes por dia os seus níveis de glicose; três vezes mais do que o mínimo recomendado pelas diretrizes dos Estados Unidos, da Europa e do Brasil3-5para testes tradicionais com a picada de dedo. Os dados mostram que um maior número de leituras com o sistema FreeStyle®Libre está fortemente associado à melhora do controle de glicose.

“Existem estudos clínicos e pesquisas com usuários do produto que reafirmam o impacto de FreeStyle® Libre sobre o modo como o diabetes vem sendo tratado durante décadas. Ao livrar o paciente das rotineiras1 picadas nos dedos para o controle glicêmico e fornecer a essas pessoas as informações de que precisam para agir por si mesmos, ajudamos as pessoas com diabetes a viverem melhor e de forma mais saudável”, conta Sandro Rodrigues, Country Manager do negócio de Cuidados para Diabetes da Abbott no Brasil.

O FreeStyle® Libre é composto de um sensor e um leitor. O sensor é redondo, tem o tamanho de uma moeda de 1 real e é aplicado de forma indolor6 na parte traseira superior do braço. Este sensor capta os níveis de glicose por meio de um microfilamento que, sob a pele e em contato com o líquido intersticial, mensura a cada minuto a glicose presente no líquido intersticial. O leitor é escaneado sobre o sensor e mostra o valor da glicose medida em menos de um segundo.

Os dados do levantamento foram gerados a partir de 50.831 leitores e 279.446 sensores, no qual integram 409,4 milhões de medições de glicose, 86,4 milhões de horas de monitoramento e 63,8 milhões de leituras, representando mais de 50.000 usuários de FreeStyle® Libre em toda a região da Europa.

 

As principais conclusões são:

Mais leituras: os usuários checaram seus níveis de glicose em média 16,3 vezes por dia.

Melhora de HbA1c (hemoglobina glicada): o nível médio de glicose diminuiu com o aumento da leitura, com a diminuição do HbA1c estimado de 8% para 6,7%.

Redução da hipoglicemia: o tempo de permanência abaixo dos níveis de glicose de 70, 55 e 45 mg/dl diminuiu em 15%, 40% e 49%, respectivamente.

Redução da hiperglicemia: o tempo acima de 180 mg/dl diminuiu de 10,5 para 5,9 horas por dia

Aumento da permanência na faixa: o período de tempo na faixa de glicose (70-180 mg/dl) aumentou de 12 horas para 16,8 horas por dia.

Capacitar os pacientes com informações

De acordo com um relatório publicado pela revista científica internacional, Patient Preference and Adherence7, as pessoas fazem o teste menos de três vezes por dia com métodos tradicionais de automonitoramento (furar o dedo com uma lanceta para obter uma amostra de sangue), o que fica aquém das diretrizes dos Estados Unidos e da Europa3,4, que recomendam de quatro a oito testes por dia e, no caso das diretrizes brasileiras, que recomendam no mínimo 4 vezes ao dia5. As pessoas com diabetes relatam que o maior obstáculo para um monitoramento mais frequente é a dor e o aborrecimento com as rotineiras1,7picadas nos dedos.

Mas quando as pessoas com diabetes não possuem uma visão clara de seus níveis de glicose através de um monitoramento regular, complicações como a hipoglicemia podem ocorrer, representando um risco à vida e exigindo a hospitalização, o que pode levar a um aumento significativo nos custos de saúde.

O sistema FreeStyle® Libre da Abbott, que foi lançado na Europa em 2014 e no Brasil em 201613, elimina a necessidade das rotineiras picadas no dedo1,8,9 e as dores e aborrecimentos que vêm junto com elas10. Além disso, o sistema FreeStyle® Libre é calibrado na fábrica, o que significa que não precisa de um teste de picada no dedo para calibração, diferente de outros sistemas contínuos de monitoramento de glicose, que precisam de duas ou mais picadas no dedo para permanecerem precisos.

“Minha experiência com o FreeStyle® Libre por meio da prática clínica diária, estudos e pesquisa foi muito positiva”, conta o Dr. Ramzi Ajjan da Universidade de Leeds no Reino Unido. “Os pacientes relataram que o sistema os ajudou a obter uma melhor compreensão de sua glicemia, permitindo múltiplas leituras diárias de glicose de maneira discreta e conveniente. A natureza indolor do sistema de teste de glicose é elogiada pelos pacientes, sendo que um comentou comigo: ‘você salvou meus dedos’. Os dados deste levantamento confirmam ainda que os pacientes com diabetes estão verificando a glicose mais frequentemente, em média até 16 vezes por dia, o que é complicado de se obter com o método convencional com picadas nos dedos. Além disso, com dados abrangentes da glicose, os pacientes agora possuem o acesso à informação, o que é fundamental para aperfeiçoar o seu controle glicêmico.”

Segundo o Dr. João Eduardo Nunes Salles, médico endocrinologista, coordenador da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e membro da Comissão Científica da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), “com dados abrangentes da glicose, os pacientes agora possuem o acesso à informação, o que é fundamental para aperfeiçoar a gestão do seu diabetes e, desta forma, podem ajudar os médicos na difícil missão do controle glicêmico”.

 

O Estudo IMPACT

Os dados deste novo levantamento apoiam as conclusões do estudo IMPACT11 publicado na The Lancet em setembro de 2016.

Os principais achados do estudo clínico incluem (usuários de FreeStyle® Libre versus automonitoramento da glicose tradicional, conhecido pela picada de dedo para coleta de uma gota de sangue adicionada em uma fita reagente e inserida em um glicosímetro:

 

Redução de 38% do tempo em hipoglicemia (<70 mg/dl).

Redução de 40% do tempo em hipoglicemia noturna (das 23 horas até às 6 horas da manhã).

Redução de 50% na hipoglicemia grave (<55 mg/dl).

Nenhum aumento em HbA1c em seis meses.

Aumento do monitoramento da glicose até uma média de 15 medidas por dia.

Picada no dedo de rotina foi quase completamente eliminada — redução de 91%.

Em 2016, a Abbott lançou o sistema FreeStyle® Libre no Brasil. Atualmente, o produto está disponível em mais de 30 países ao redor do mundo e é utilizado por mais de 250.000 pessoas vivendo com diabetes. Nos EUA, o sistema FreeStyle® Libre está atualmente em revisão pelo FDA (Food and Drug Administration).12

Sobre os dados

O levantamento foi realizado com base em dados não identificados coletados durante um período de 18 meses, quando os leitores de FreeStyle® Libre foram conectados ao software com base computadorizada e conexão ativa com a internet. Todas as informações foram unificadas. Nenhum dado pessoal foi utilizado ou compartilhado.

 

Sobre o sistema FreeStyle® Libre

O FreeStyle® Libre da Abbott é composto de um sensor pequeno e redondo — aproximadamente do tamanho de uma moeda de 1 real — utilizado na parte traseira superior do braço por até 14 dias. Mede a glicose a cada minuto no líquido intersticial através de um microfilamento (5 milímetros de comprimento e 0,4 milímetro de largura) que é inserido sob a pele e mantido no lugar com uma base adesiva. O leitor é escaneado sobre o sensor e mostra o valor da glicose medida em menos de um segundo. Cada leitura apresenta um resultado de glicose em tempo real, um gráfico histórico de oito horas e a tendência da glicose. O sistema FreeStyle® Libre gera um Perfil Ambulatorial de Glicose (AGP – Ambulatory Glucose Profile) que fornece uma visão instantânea dos níveis de glicose, tendências e padrões ao longo do tempo.

 

Sobre a Abbott

Na Abbott, estamos comprometidos a ajudar você a viver da melhor maneira possível, por meio do poder transformador da saúde. Por mais de 125 anos, apresentamos ao mundo produtos e tecnologias inovadores – em nutrição, diagnóstico, dispositivos médicos e medicamentos de marca -, criando mais possibilidades, para mais pessoas, em todas as fases de suas vidas. Hoje, somos 94 mil colaboradores, em mais de 150 países, trabalhando para ajudar as pessoas a viver mais e melhor.

Presente no Brasil há 80 anos, a Abbott trabalha para proporcionar às pessoas um melhor acesso a soluções médicas e de saúde inovadoras, contribuindo para o desenvolvimento dos cuidados para a saúde em todo o país. No Brasil, a empresa emprega aproximadamente 1.400 colaboradores em áreas como produção, pesquisa e desenvolvimento, logística, vendas e marketing. As principais unidades da Abbott no país ficam em São Paulo e Rio de Janeiro, cidade onde está o parque fabril da empresa.

Acesse www.abbottbrasil.com.br e fique em contato conosco pelo Facebook/Abbott Brasil.

Referências:

 

Há três circunstâncias nas quais o teste de ponta de dedo é necessário: a) Durante períodos de rápida alteração nos níveis da glicose (a glicose do fluido intersticial pode não refletir com precisão o nível da glicose no sangue); b) Para confirmar uma hipoglicemia ou uma iminente hipoglicemia registrada pelo sensor; c) Quando os sintomas não corresponderem às leituras do sistema flash de monitoramento da glicose.

Data on file. Dunn T, Xu Y, Hayter G; Evidence of a Strong Association Between Frequency of Flash Glucose Monitoring and Glucose Control Measures During Real-World Usage.

American Diabetes Association Diabetes Care 2017 Jan; 40(Supplement 1): S48-S56. https://doi.org/10.2337/dc17-S009; http://care.diabetesjournals.org/content/40/Supplement_1/S48.

Schnell O, Alwai H, Battelino T, et al. Consensus statement on self-monitoring of blood glucose in diabetes. A European perspective. Diabetes, Stoffwechsel und Herz, Band 18, 4/2009:3-7 .

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016) / Adolfo Milech…[et. al.]; organização José Egidio Paulo de Oliveira, SérgioVencio – São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016; 26-27.

Data on file. Based on a user study, 100% of patients agree that there is no pain when they check their glucose readings by scanning the FreeStyle Libre sensor.

Ong, W.M.; Chua, S.S.; Ng, C.J. (2014) Barriers and facilitators to self-monitoring of blood glucose in people with type 2 diabetes using insulin: a qualitative study.Patient Preference and Adherence, 8. pp. 237-246.

A finger prick test using a blood glucose meter is required during times of rapidly changing glucose levels when interstitial fluid glucose levels may not accurately reflect blood glucose levels or if hypoglycemia or impending hypoglycemia is reported by the system or when symptoms do not match the system readings.

Bailey, Bode, Christiansen, Klaff, and Alva, (2015). The Performance and Usability of a Factory-Calibrated Flash Glucose Monitoring System Diabetes Tech Thearputics 17(11), 787-793.DOI: 10.1089/dia.2014.0378.

Wagner J, Malachoff C, Abbott G. Invasiveness as a barrier to self-monitoring of blood glucose in diabetes. Diabetes Technolo Ther. 2005; 7(4):612-619.

Bolinder J, Antuna R, Geelhoed-Duijvestijn P, Kroger J, Weitgasser R. Novel glucose-sensing technology and hypoglycemia in type 1 diabetes: a multicentre, non-masked, randomized controlled trial [published online September 12, 2016]. Lancet. 2016.

Pending FDA approval. Not available for sale in the United States.

Produto aprovado em 24.novembro.2014 pela ANVISA. Registro MS ANVISA: 80146501903. Aprovação ANATEL 4072-14-9992.

<ligialeme@textual.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.