Cuidado! Junho e julho são os meses com maior incidência de queimaduras

De acordo com a Sociedade Brasileira de Queimaduras, nos meses de junho e julho, os números de atendimentos a acidentes com queimaduras são alarmantes em todo o país. Essa crescente significativa ocorre por conta da chegada do inverno, que aumenta o consumo de bebidas quentes e sopas e a utilização de lareiras, aquecedores e fogão a lenha. Além disso, as famosas Festas Juninas também colaboram para o aumento de incidentes, já que nelas é comum a utilização de substâncias inflamáveis para acender fogueiras, a manipulação de fogos de artifício e o preparo de refeições típicas. De acordo com Antônio Rangel, enfermeiro estomaterapeuta da Vuelo Pharma, alguns cuidados básicos podem ajudar a evitar acidentes.

 

  • Cozinhe nas bocas de trás do fogão e sempre deixe os cabos das panelas virados para trás;
  • Evite utilizar toalhas de mesa, pois a criança pode puxá-la e acabar derrubando sobre ela alimentos e líquidos quentes;
  • Coloque o aquecedor em um cômodo em que a criança não tenha acesso;
  • Nunca deixa a criança sozinha em um ambiente com lareira acesa;
  • Não prepare refeições com crianças no colo;
  • Não permita que crianças participem do processo de acender o fogo ou soltar fogos de artifício;
  • Faça fogueiras baixas para evitar desmoronamentos;
  • Nunca solte fogos de artifício próximo a árvores ou fiações elétricas;
  • Só utilize fogos de artifício com procedência garantida e, antes de soltá-los, leia atentamente o rótulo;
  • Não tente acender fogos que falharam;
  • Nunca jogue combustíveis para acender o fogo, principalmente gasolina, álcool e solvente.

Rangel alerta para a importância da identificação do grau de queimadura e para os cuidados logo após o acidente. “Identificando o grau da queimadura, é possível saber como agir e quais atitudes devem ser tomadas”, destaca. Segundo ele, as queimaduras de 1º e 2º grau são superficiais e deixam a pele vermelha, dolorida e podem formar bolhas. Nesses casos, logo após o acidente, é indicado colocar a parte afetada debaixo de água corrente fria (não gelada) por, aproximadamente, dez minutos. Além de resfriar, a água ajuda a hidratar o local. Já as queimaduras de 3º grau são aquelas mais profundas que atingem todas as camadas da pele e podem, inclusive, atingir músculos e tendões. Nessas situações, o queimado deve ser levado imediatamente para o atendimento emergencial. “Em hipótese alguma use produtos como pasta de dente, café e manteiga. Essa atitude pode comprometer seriamente a recuperação da pele”, alerta o enfermeiro.

Em acidentes com queimaduras, procurar atendimento médico é a orientação mais importante, pois cada caso é um caso. O tratamento adequado pode acelerar a regeneração da pele, minimizando as consequências e evitando cicatrizes. De acordo com Rangel, alguns curativos são comuns nesse tipo e tratamento. É o caso da Membrana Regeneradora Porosa Membracel. “A membrana de celulose auxilia na evolução do tratamento, pois acelera a cicatrização da região afetada e alivia instantaneamente a dor. Ela pode ser utilizada com excelentes resultados em queimaduras de 2º grau após o rompimento das bolhas, sendo que, na maioria dos casos, uma única membrana é necessária para o tratamento”, conclui o enfermeiro.