Entenda mais um benefício que os lácteos trazem para o seu corpo

É sabido que o consumo de lácteos faz bem, por diversos motivos, uma vez que têm uma gama imensa de nutrientes e compostos. E como exatamente estes compostos atuam no nosso organismo? Ana Paula Del’Arco, nutricionista e consultora da Viva Lácteos (Associação Brasileira de Lacticínios), explica como funciona esse processo relacionado aos peptídeos bioativos.

“Para facilitar, imagine que a proteína é um colar de pérolas. Cada pérola é um aminoácido e cada conjunto com 3 a 20 de pérolas tem o nome de peptídeo. Este peptídeo se torna bioativo no nosso corpo de duas maneiras: durante o processo digestivo ou por ação de enzimas na fermentação láctea por microrganismos, como no caso da fabricação de iogurtes, leites fermentados e queijos”, explica Ana Paula.

Quando isso acontece, o peptídeo torna-se bioativo, ou seja, passa a ter um efeito sobre nosso organismo, tecido ou célula, atuando no corpo, contribuindo principalmente para a saúde cardiovascular e ajudando no metabolismo, regulando a absorção de nutrientes. As principais fontes de peptídeos bioativos são os alimentos de origem animal, como carnes, ovos e leite. O leite é considerado a maior fonte de peptídeos bioativos e, como exemplo, temos as lactoquininas (derivados das proteínas do soro do leite), que atuam no controle da pressão arterial, dilatando os vasos sanguíneos, inibindo a enzima conversora de angiotensina (ECA), assim como as casoquininas (derivadas da caseína).

Os benefícios não param por aí. Peptídeos bioativos são associados a outras funções no organismo como ações anti-hipertensivas, antimicrobianas, antioxidantes e imunomoduladoras, além de auxiliarem na absorção de minerais. <renato.fugulin@mslgroup.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.