Higiene nasal: qual a sua importância e como fazer

Você já ouviu falar em higiene nasal? Ela é importante para que o nariz cumpra algumas de suas principais funções, tais como filtrar o ar de impurezas, regular a entrada de ar para os pulmões e proteger o corpo contra bactérias e vírus. Mas como funciona esse processo de ‘filtro’ no nariz? A otorrinolaringologista Isabela Oliveira, da Otorrinos Curitiba, explicou um pouco sobre o funcionamento do nariz e dos seios da face (ou seios paranasais).

Veja também:
:: Cera de ouvido: problema ou proteção?
:: Épocas frias exigem mais cuidados com a saúde das crianças
:: Ar condicionado e os perigos para a saúde

“O nariz e os seios da face são extensas superfícies recobertas de mucosa que são responsáveis pelo equilíbrio da temperatura e umidade do ar inspirado; têm função olfatória e de ‘filtro’ para as impurezas. Nesse tecido respiratório, temos cílios microscópicos, que se movimentam para remover continuamente o muco para fora dos seios. Diversas toxinas produzidas por bactérias e vírus causam redução do batimento ciliar. A diminuição do movimento desses cílios causa acúmulo de secreções mais espessas que o normal, aumentando a predisposição à instalação de processos infecciosos”, esclareceu.

Segundo Isabela, a lavagem nasal, além de remover o muco nasal, secreções purulentas, restos de células e crostas, diminui a inflamação local da mucosa. “Estudos mostram que pacientes que realizam a lavagem nasal têm uma menor tendência a usar antibióticos. Além disso, já está comprovado que limpar as vias aéreas em quem tem alergia ajuda a evitar infecções e crises”, completou a otorrino.

A lavagem nasal é um procedimento amplamente incentivado para prevenção e auxílio no tratamento de diversas doenças das vias respiratórias.

Como realizar a lavagem nasal?
De acordo com Isabela, a lavagem nasal deve ser realizada utilizando soro fisiológico 0,9% em temperatura ambiente. “Pode ser spray, jato contínuo ou seringa com soro. Frascos de soro fisiológico, ao contrário dos sprays, devem ser mantidos em geladeira após abertos”, resumiu a especialista.

Atenção com as crianças

A quantidade de soro a ser usada depende muito do tamanho da criança, da quantidade de secreção que ela apresenta e da tolerância da criança ao procedimento. “Uma dica é começar com pequenos volumes de soro fisiológico, como 0,5 a 1 ml em cada narina para os bebês, e com pouca pressão”, lembra a otorrino.

Ela também orienta que o bebê ou a criança deve estar sentado ou em pé, com a cabeça levemente reclinada para frente. “As crianças possuem a tuba auditiva (canal que liga o nariz até a orelha média) mais curta e horizontal, que facilita com que haja refluxo de líquidos para os ouvidos, principalmente se a criança estiver deitada. A lavagem com soro não ‘causa’ otite, muito menos pneumonia, nem é capaz de perfurar o ouvido. O processo infeccioso instalado e a secreção acumulada nas vias respiratórias é que podem causar essas complicações”, alertou Isabela.

Ela comentou, ainda, que o importante é que o médico dê as orientações corretas, principalmente para os pais realizarem o procedimento nas crianças. “Lembre-se que cada criança é única e nenhuma dica substitui as orientações do otorrino que a acompanha. Peça para ele demonstrar como você deve fazer”, resumiu.

É necessário fazer a lavagem todos os dias?
A doutora Isabela lembra que o nariz está em constante contato com o meio externo, portanto, recomenda-se realizar a higiene nasal diariamente. “Se o objetivo é apenas umidificar a mucosa porque o tempo está seco, bastam cerca de 3 vezes diárias. Mas se a criança está resfriada e com muita secreção, o ideal é de 8 a 10 vezes no dia”, aconselhou.

Sobre Isabela Oliveira
Isabela Oliveira é graduada em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pelo Hospital Universitário Evangélico de Curitiba e pós-graduada em Auditoria para Hospitais, Serviços, Sistemas e Planos de Saúde na Faculdade Pequeno Príncipe. Atualmente, cursa MBA de Gestão em Saúde na ISAE-FGV e atende nas unidades Centro e Mercês da Otorrinos Curitiba.

Sobre a Otorrinos Curitiba
Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:
Otorrinos Curitiba
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084
Site: www.otorrinoscuritiba.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Você já notou pontos escuros na pele, principalmente do rosto? Isso acontece, muitas vezes, por conta da falta do uso do protetor solar, principalmente no verão...
Fechar Menu