Cardio-Oncologia é aliada do coração durante tratamento contra o câncer

Clínica curitibana já oferece esse tipo de atendimento que ajuda a detectar e monitorar problemas cardiovasculares que surgem em pacientes oncológicos

Para aprimorar o atendimento ao paciente oncológico, a Quanta Diagnóstico e Terapia começa a oferecer o serviço de cardio-oncologia a partir deste mês. “O tratamento do câncer evoluiu bastante nos últimos anos e a sobrevida tem aumentado muito. Porém, o tratamento oncológico pode acarretar problemas no coração, o que chamamos de cardiotoxicidade. Dados recentes indicam que as doenças cardiovasculares são a segunda causa de morte em pacientes que sobreviveram ao câncer”, explica o cardiologista Miguel Morita, diretor do Serviço de Cardio-Oncologia da Quanta Diagnóstico e Terapia.

Quando o paciente descobre que está com câncer, é importante que ele converse com seu oncologista para verificar a necessidade de realizar uma avaliação do coração. “Se houver risco de cardiotoxicidade, o oncologista pode encaminhar o paciente para o serviço de cardio-oncologia para que seja feito o monitoramento, prevenção e tratamento dos possíveis problemas cardíacos. Sempre pedimos que o paciente traga para a consulta o máximo de informações que tem sobre sua doença, incluindo o tratamento planejado, e procuramos manter uma comunicação direta com o oncologista a fim de ajudá-lo a tomar decisões com mais benefícios e menos riscos para o paciente”, explica Morita.

De acordo com o cardiologista, os problemas mais frequentes na cardio-oncologia são a perda da força de contração do coração, arritmias, entupimento das coronárias e o hipertensão. “Alguns quimioterápicos causam aumento importante da pressão arterial e sua monitorização e controle adequados são fundamentais para evitar consequências maléficas no coração.”, salienta.

Durante o atendimento da cardio-oncologia são feitos exames periódicos como o ecocardiograma, para observar os fatores de risco cardiovascular e avaliar a função do coração, como a força de contração do órgão, pois esse é um dos principais fatores que são comprometidos durante a quimioterapia. “Um paciente que passou por tratamento contra o câncer, muitas vezes precisa ter seu coração ‘vigiado’, pois sabemos que há quimioterápicos que podem causar problemas após o tratamento oncológico já ter sido concluído. Isso é especialmente importante quando foi realizada a radioterapia no tórax, pois essa terapia pode levar a doenças cardíacas muitos anos depois”, salienta o cardiologista.

A associação do câncer com doenças cardíacas ocorre por causa de alguns aspectos, segundo Morita. Primeiro, ambas compartilham fatores de risco comuns, ou seja, fatores que aumentam o risco de desenvolver tanto doenças do coração quanto o câncer. Um exemplo é o cigarro, que pode ocasionar tanto um infarto do miocárdio como também um câncer de pulmão. “Por isso, muitas pessoas com câncer também apresentam doenças cardíacas”, explica o cardiologista. Um segundo fator é a idade. “Com o envelhecimento da população, aumenta a prevalência de doenças mais comuns na terceira idade, como as doenças cardíacas e o câncer, que são, não por coincidência, as maiores causas de morte no Brasil e no mundo”, observa Miguel Morita.

Desde o seu surgimento, em 2008, a cardio-oncologia vem se expandindo no mundo para auxiliar os pacientes oncológicos. Geralmente, o câncer de mama é o que mais se associa a problemas cardíacos. Mas, segundo Morita, os linfomas, leucemia e câncer de pulmão também são frequentes no dia a dia da cardio-oncologia por causa do potencial cardiotóxico do tratamento. “Novas terapias surgem a cada dia e são extremamente promissoras no aumento das chances de cura do câncer, mas podem ser limitadas se forem altamente tóxicas para o coração”, ressalta Miguel Morita.

 

Sobre a Quanta Diagnóstico e Terapia
Fundada em 2003, a Quanta Diagnóstico e Terapia está localizada na cidade de Curitiba e oferece exames de cintilografia, tomografia computadorizada com 128 cortes, angiotomografias coronariana e vascular, escore de cálcio, PET-CT, biópsias e tratamentos para câncer de tireoide e dor óssea no câncer.

A Quanta Diagnóstico e Terapia conta com um núcleo de pesquisas, participa do Vale do Pinhão, que apoia iniciativas inovadoras de empresas locais e, desde 2007 coopera com a Agência Internacional de Energia Atômica da ONU. Mais informações no site www.quantadiagnostico.com.br.