Programa Plantas Medicinais, da Itaipu, vence o Prêmio Benchmarking 2017

O Programa Plantas Medicinais, da Itaipu e parceiros, obteve o primeiro lugar no ranking Benchmarking 2017, que anualmente premia os melhores casos socioambientais do Brasil. A entrega foi feita na quinta-feira (29), em São Paulo (SP), durante o 15º Bench Day – evento que contou com a participação de cerca de 400 pessoas, entre especialistas, gestores, pesquisadores, ativistas, autoridades e estudantes que atuam pela sustentabilidade nas suas organizações, instituições de ensino e comunidades.

Representantes de organizações de dez estados apresentaram suas iniciativas em prol da sustentabilidade. O programa Plantas Medicinais recebeu a melhor avaliação da comissão técnica, à frente dos casos do Sebrae Sustentabilidade, Aurora Alimentos, Coelba/Cerpe/Cosern e Colorado Máquinas (veja o ranking completo aqui).

Por meio do Programa Plantas Medicinais, a Itaipu apoia o desenvolvimento da cadeia produtiva de fitoterápicos na região Oeste do Paraná. Em mais de 14 anos, a ação já promoveu a capacitação de milhares de agentes de saúde da rede pública e pessoas da comunidade em geral, além de atuar na distribuição de mudas e de fitoterápicos para utilização em postos do SUS.

Atualmente, o foco do programa está no fomento da produção, pesquisa e uso fitoterápico na atenção à saúde pública, para os atores da BP3 envolvidos com a cadeia produtiva de plantas medicinais. “Dentro da Itaipu temos o Horto de Plantas Medicinais, um espaço de conservação e manutenção de germoplasma, que apoia os setores produtivo, educacional e de pesquisa”, afirmou a engenheira agrônoma gestora do Programa Plantas Medicinais, Liziane Kadine, da Divisão de Ação Ambiental da Itaipu.

A metodologia de seleção e certificação do programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT e é considerada a fotografia da gestão socioambiental brasileira, registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. “Aqui, mostramos a sustentabilidade que deu certo e também a projeção dos projetos de inovações verdes certificados pelo programa. Mas não somos apenas cases e projetos. A condição humana em sua essência tem seu espaço no Benchmarking. Trajetórias inspiradoras e a arte também fazem parte do programa”, disse Marilena Lavorato, idealizadora do programa Benchmarking.

Itaipu no Benchmarking

Em 2016, Itaipu obteve dois primeiros lugares no Benchmarking: ficou em primeiro lugar no ranking, com o programa “Biodiversidade: Nosso Patrimônio”. E também obteve o primeiro lugar na nova categoria “Indicadores”, pelo conjunto de indicadores que atestam a gestão socioambiental da binacional.

A Itaipu já havia sido premiada com o primeiro lugar no Benchmarking em 2007 (com o Cultivando Água Boa-CAB), em 2011 (com o programa Desenvolvimento Rural Sustentável) e em 2012 (com o case Gestão de Bacias Hidrográficas). Em 2013, obteve o segundo lugar com o programa Sustentabilidade de Comunidades Indígenas. Em 2014, ficou entre os 20 melhores com o Coleta Solidária. E, em 2012, liderou o ranking de melhores práticas socioambientais em 10 anos do prêmio Benchmarking, novamente com o CAB.

 

Anexadas, fotos do troféu (crédito: Nilton Rolin/Itaipu Binacional) e do viveiro de plantas medicinais da Itaipu, localizado no Refúgio Biológico Bela Vista, em Foz do Iguaçu (crédito: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional).