ACP, Fundação Cultural de Curitiba e VONDER se unem para revitalizar Praça 19 de Dezembro

 

O centro comercial de Curitiba foi marcado por várias manifestações em 2016. Muitas delas pacíficas, outras nem tanto. Em alguns protestos, manifestantes picharam as portas das lojas, residências e dos monumentos históricos da capital, como por exemplo, da Praça 19 de Dezembro.

 

As ações em relação as pichações é um problema que a Associação Comercial do Paraná enfrenta há um tempo. Segundo o Presidente da Associação Comercial do Paraná, Gláucio Geara, há comerciantes que arcam com prejuízos mensais de R$ 2 mil só para manutenção das fachadas das portas das lojas. “A sujeira fica mais evidente ainda nos finais de semana, quando as portas dos estabelecimentos estão fechadas”, lamenta.

 

Em comemoração ao dia do monumento histórico, a Associação Comercial do Paraná junto com a Fundação Cultural de Curitiba e em parceria com o Grupo OVD, detentor da marca VONDER, realizam juntos a revitalização da Praça 19 de Dezembro, mais conhecida como a Praça do Homem Nu.

 

A limpeza abrange a face oeste do painel em granito do artista curitibano Poty Lazzaroto (1924-1988), o obelisco e o Homem Nu, do também paranaense Erbo Stenzel (1911-1980), e a Mulher Nua, do paulista Humberto Cozzo (1900-1981). O painel de Poty, elaborado em azulejos, que fica na face leste, em frente à Escola Tiradentes, também sujo por vândalos, também será contemplado nessa revitalização.

 

Para remover os resíduos de pintura e pichação na Praça 19 de Dezembro, a VONDER cedeu diversos produtos, entre eles, o Removedor de Multipichação, indicado para a remoção de pichações recentes ou antigas sem danificar a pintura ou obra de arte original.  O Limpador Desincrustante VONDER, com ação na mais difícil impregnação de sujeira, seja ela orgânica ou mineral, agindo como um decapante orgânico que não necessita neutralização após enxágue. O produto é totalmente biodegradável e não possui em sua composição ácido muriático, fosfórico ou sulfúrico – ou seja, limpa sem agredir a superfície onde está sendo utilizado

 

E por último, o Impermeabilizante Água, Óleo, Pichações e Fuligem VONDER, produto totalmente ecológico, com composição aquosa e livre de solventes de petróleo ou resina, ou seja, protege e não danifica a matéria-prima original. Todos os produtos VONDER não trazem impactos ao meio ambiente, sendo altamente recomendável pela capacidade de preservação do material.

 

Ou seja, são sustentáveis e não agressivos, que reúnem alta tecnologia e inovação, sendo aprovados para trabalhos de limpeza e manutenção em superfícies delicadas, pois não causam danos ao meio ambiente, à superfície e obra original e também ao profissional que o manuseia. “Nossa linha conta com produtos que agregam alta tecnologia e eficiência para esse tipo de trabalho e nada melhor que demonstrar essa excelente performance em um dos mais importantes cartões postais de Curitiba, cidade da Matriz da nossa empresa”, destacou o diretor comercial do Grupo OVD, Valter Lima Santos. A empresa lançou recentemente a linha de produtos no mercado brasileiro, que são provenientes da França e utilizados em inúmeros monumentos e cidades históricas pelo mundo.

 

O vice-presidente da ACP Camilo Turmina destacou a importância do plano de revitalização da Praça 19 de Dezembro, lembrando a campanha lançada pela Associação há alguns anos – “Pichação é crime. Denuncie” – e as ações ainda em desenvolvimento, parabenizando a iniciativa de empresários preocupados com a recuperação do patrimônio público e privado atacado pelo vandalismo.

Para a finalização da limpeza total, prevê um total de 10 a 15 dias.

 

Valorização histórica de Curitiba

 

A revitalização da Praça 19 de Dezembro significa resgatar a história de Curitiba. As obras que estão na Praça, como o Painel, o obelisco e o Homem Nu foram inaugurados no centenário da Emancipação Política do Paraná, em 19 de dezembro de 1953.

 

O painel de azulejos de Poty Lazzarotto representa a evolução política do Estado; o painel em granito, de Erbo Stenzel, em alto relevo, representa os ciclos econômicos do Paraná; e o obelisco foi construído em comemoração ao centenário em 1953. Já o Homem Nu, também de Erbo Stenzel, representa o Paraná emancipado e sem medo do futuro. A Mulher Nua, do paulista Humberto Cozzo, que originalmente ficava nos fundos do Palácio Iguaçu, foi trazido à praça a fim de complementar o conjunto e representar a Justiça.