Desemprego atinge 13,5 milhões de pessoas no Brasil. O que é preciso fazer para aumentar suas chances de voltar ao mercado de trabalho?

Dados do IBGE divulgados no final de julho apontam um cenário alarmante: o nível de desemprego no Brasil é de 13%. São mais de 13,5 milhões de pessoas desempregadas, que buscam incessantemente uma recolocação no mercado de trabalho. Diante desse quadro de crise, as empresas costumam receber diariamente uma infinidade de currículos. E como se destacar no meio de tanta gente à procura do mesmo objetivo? Quais os diferenciais que o profissional deve ter para se destacar e, enfim, voltar a trabalhar?

Com passagens por grandes organizações como Coca-Cola, Positivo e Senac, a psicóloga especialista em coach de carreira, Cléia Soares, afirma que nessas horas, é comum o profissional se desmotivar e perder o foco. “Ao longo dos últimos anos, constatei que o que mais acontece é as pessoas perderem o foco. Se deixam abater pela situação, e no caso das redes sociais, ficam navegando sem rumo. Sabemos que as redes são uma ferramenta de comunicação e interatividade poderosa, mas se não forem utilizadas da forma correta, pode ser tornar inútil”, aconselha.

Para ser mais eficaz na busca pelo emprego, a psicóloga dá a dica: “É necessário manter uma rotina como se estivesse trabalhando. Ter disciplina, organização, estratégia e estabelecer metas. Por exemplo: todos os dias enviar ‘x’ currículos para um número ‘x’ de empresas, estabelecendo horário e tempo para essa atividade.  Outra coisa importante é usar as redes sociais a seu favor. Divulgar que está em busca de emprego, uma vez que sua rede de contatos pode ampliar a chance de descobrir que uma empresa está contratando, ou até receber a indicação de algum amigo”, comenta. Ainda sobre as redes sociais, a coacher faz um alerta: “Evite usar as redes sociais, principalmente o Linkedin, para falar mal de empresas e entrevistadores. É visível o número de candidatos que passam parte do tempo consumindo sua energia para reclamar”, alerta Cléia.

Aproveitando o tempo para se qualificar

 Uma boa dica nesses momentos, segundo Cléia, é reservar um tempo para investir em qualificação profissional. “Turbinar” seu currículo com novas habilidades profissionais vai colocar o candidato entre os possíveis novos contratados. E o melhor de tudo: de graça. “Existem hoje uma série de cursos online gratuitos. Há também vários palestrantes que expõe temáticas da sua área de atuação ou questões relacionadas a vendas, divulgação do trabalho e marketing, empreendedorismo, liderança e outros. São conhecimentos que vão agregar bastante valor ao currículo do candidato e chamar a atenção dos recrutadores”, afirma.

Por fim, manter uma atitude positiva mesmo diante da situação difícil é fundamental, de acordo com a psicóloga. “Mantenha a energia, a esperança e a motivação. Muitos já passaram por inúmeras situações difíceis na vida e conseguiram dar a volta por cima. O momento da retomada é agora. Pensamento positivo é fundamental, mas atitude é o que define seu resultado. Quais são as suas ações? O que você está fazendo agora em busca do seu emprego? Como está sua energia e garra para continuar? Que esforços você pode fazer, a partir de agora, para atingir seus objetivos? São perguntas que o candidato deve se fazer permanentemente”, finaliza Cléia.