Dia Internacional da Cerveja. Também somos parte dessa história

*Por Victor Simas, presidente da Confenar, Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas da Logística de Distribuição 

Meu negócio é a cerveja. Se você está agora servindo um copo para brindar com os amigos, com uma garrafa na mão, a bebida pode ter vindo de um dos milhares de pontos de venda abastecidos por uma das revendas associadas à Confenar, a Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas da Logística de Distribuição, a maior rede de distribuição de bebidas do País. E como presidente dessa Confederação, que possui 110 revendas e comercializa milhões de hectolitros por ano (para quem não sabe, um hectolitro corresponde a 100 litros), é meu dever que você esteja a menor distância possível de sua bebida preferida. Trabalhamos para isso.

E para falar sobre esse assunto que todo brasileiro aprecia, melhor data não existe: o Dia Internacional da Cerveja, que é comemorado na primeira sexta-feira do mês de agosto, em mais de 50 países, há 10 anos. O dia foi inventado por um grupo de amigos em Santa Cruz, na Califórnia, com o objetivo de promover a confraternização entre as pessoas saboreando a cerveja e também de celebrar os fabricantes e aqueles que servem a bebida. Não poderíamos ficar de fora.

A fabricação da cerveja é tão antiga quanto à história da civilização. O processo de fermentação foi descoberto ao acaso, há mais de 10 mil anos por agricultores da região da Mesopotâmia, (onde está localizado o Iraque hoje) obtida por meio dos cereais. No Brasil chegou bem tardiamente, se comparado com o restante do mundo. Foi depois da colonização portuguesa, por volta de 1800 e os holandeses que trataram de difundir o gosto pela bebida.

Pode até ter chegado tarde por aqui, porém hoje é a bebida alcoólica mais consumida do País. Vale lembrar também que o Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, perdendo apenas para China e Estados Unidos, de acordo com a CervBrasil, a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja.

Para a Confenar é sinônimo também de geração de empregos, negócios e parcerias. As revendas associadas geram mais de 20 mil empregos diretos e 70 mil indiretos, faturando mais de 14 bilhões de reais por ano, com potencial de consumo de produtos de 800 milhões de reais ao ano.

A cerveja vem se reinventando e conquistando públicos cada vez maiores e de diferentes perfis a cada ano. Bebidas mais amargas, mais frescas, as artesanais, são opções para todos os gostos e, diria também, bolsos. A diversidade cervejeira deve ser comemorada pela importância que tem no mercado, na geração de negócios e empregos e também para ser saboreada naquele momento de descontração e lazer. Desejo a todos um ótimo Dia Internacional da Cerveja.