Diabetes: uma doença de adultos que cresce entre as crianças

O diabetes é uma doença crônica que pode acometer adultos e crianças. A cada dia, cresce o número de casos da doença entre os pequenos. Nas crianças, o tipo mais comum é o I e caracteriza-se pela baixa produção de insulina. Porém, o tipo de diabetes por resistência insulínica também está crescendo entre elas. Esta é causada por alimentação desequilibrada e aumento de peso.

Segundo a endocrinopediatra, Myrna Campagnoli, do Laboratório Frischmann Aisengart, a educação e precaução devem andar juntas na luta contra a doença entre as crianças e adolescentes. “A família tem papel fundamental na prevenção do diabetes, não só porque as crianças seguem os (maus) hábitos que têm em casa, mas também porque a intervenção é mais eficaz se feita nos primeiros dez anos de vida. Quanto mais avançada a idade, mais difícil é mudar os hábitos”, menciona.

Alguns sinais podem ajudar na identificação dos possíveis casos de diabetes  na infância e adolescência. A especialista explica que a demora no diagnóstico pode levar a casos graves. “Consultas com pediatras e exames frequentes, de acompanhamento, ajudam muito na prevenção da doença. Um ponto que não deve ser esquecido é que os pais também precisam consumir alimentos saudáveis! Se esse hábito não estiver presente no dia a dia da família dificilmente a criança vai adquiri-lo e a não aceitação aos alimentos mais saudáveis passa a ser uma situação constante. Além disso, leve seu filho a feira e ao supermercado para que ele veja os alimentos saudáveis na sua forma natural, se encante com o seu colorido e se sinta mais atraído em consumi-los. Além de ter mais vontade de comer, a criança sai do sedentarismo faz uma caminhada longe dos tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos”, comenta.

Confira seis dicas da endocrinopediatra sobre os possíveis sintomas do diabetes.

Se a criança tiver pelo menos dois deles, fique atento:

  1. Fome, sede e urina em excesso;
  2. Ardência ou coceira ao urinar;
  3. Fraqueza, sonolência e tontura;
  4. Dificuldade para enxergar ou visão embaçada;
  5. Perda brusca de peso;
  6. Câimbras e formigamentos.

Paula Batista