Dor no quadril afeta 5% da população jovem

Estudos recentes – divulgados pela Sociedade Americana de Ortopedia – alertam para um problema que atinge 5% da população jovem: a dor no quadril.

O ortopedista especialista em cirurgia do quadril, Thiago Fuchs, do Instituto Fuchs, conta que uma das razões para dores no quadril de pessoas jovens é a lesão em uma estrutura chamada lábio (ou labrum) do acetábulo.

Essa patologia leva a queixas de dor, principalmente na região da virilha e dor profunda no quadril, e muitas vezes limita a pessoa em suas atividades, especialmente na prática esportiva.

Alguns pacientes com lesão do labrum apresentam estalos ou clicks no quadril, e às vezes, sensação de deslocamento.

LABRUM – O Labrum – estrutura fibrocartilaginosa que funciona como uma válvula no quadril é responsável por promover um melhor encaixe entre os ossos que compõem essa articulação (cabeça do fêmur e acetábulo).

Thiago explica que o labrum é fundamental para o movimento saudável e que a lesão desta estrutura gera dor e desconforto na prática de esportes, sendo considerada como um fator de risco para degeneração do quadril.

“Se o labrum estiver danificado, o estresse entre os ossos do quadril aumenta consideravelmente, com uma piora na sobrecarga em até 92%. Tal estresse pode, a longo prazo, provocar um desgaste mais grave na articulação, levando à artrose”, reforça do cirurgião do quadril.

 

TIPOS DE LESÃO – Existem dois tipos de lesão do labrum no quadril: degenerativa e traumática. A degenerativa é uma lesão crônica que ocorre como resultado de uso e atividade repetitiva.

Já a lesão traumática, geralmente aguda, é resultado de uma lesão esportiva, queda ou acidente e está associada com manobras bruscas de torção, comuns no tênis e futebol e que causam dor imediata no quadril.

 

TRATAMENTO – As estatísticas mostram que 95% das pessoas que sofreram lesão do labrum relacionada ao impacto femoroacetabular conseguem retornar às suas atividades esportivas após o tratamento adequado.

De acordo com o cirurgião do quadril, Dr. Thiago Fuchs, pacientes que apresentam dores no quadril devem procurar um especialista. “Quanto mais rápido for feito o diagnóstico, melhor será o prognóstico”, alertou Thiago.

O tratamento para essa lesão começa com um diagnóstico clínico preciso e exames de imagem específicos. “O tratamento do impacto femoroacetabular com lesão do labrum, sintomático, nos pacientes jovens é cirúrgico na maioria dos casos”, explica Thiago Fuchs.

Entre as possibilidades de tratamento cirúrgico, com baixa taxa de complicação – entre 1% e 5% – e excelentes resultados no tratamento de lesões no quadril está a artroscopia, técnica cirúrgica para tratamento de lesões dentro e ao redor das articulações. No procedimento uma câmera de vídeo e instrumentos específicos são introduzidos na articulação por pequenas incisões na pele de aproximadamente 1 centímetro.

Nos casos de tratamento conservador, e também após a cirurgia, a reabilitação com fisioterapia é muito importante para melhorar o movimento do quadril, estabilizar a articulação, fortalecer a musculatura, diminuir o estresse na região e permitir o retorno do paciente ao esporte.

CASO DE SUCESSO – O empresário Bruno Bewalski, de 31 anos, sentia fortes dores no quadril que passaram a limitar a prática de esportes. Após passar por uma artroscopia de quadril, realizada pelo Dr.Thiago Fuchs há cerca de dois anos, a sua rotina mudou completamente. “Hoje não tenho mais nenhuma limitação. Após a recuperação da cirurgia e reabilitação com fisioterapia voltei a surfar e estou super bem”, conta Bruno.

 

cerestb@gmail.com