Projeto-piloto de startups é lançado para universitários em Cascavel

Iniciativa do Sebrae/PR, Startup Garage será desenvolvido em seis cidades paranaenses; Centro Universitário FAG será o representante no Oeste do PR

Estudantes do Centro Universitário FAG de Cascavel conheceram, entre segunda e quarta-feira (30), o funcionamento do projeto criado pelo Sebrae/PR, o Startup Garage. Ele será aplicado em seis universidades particulares do Estado e tem como objetivo incentivar o empreendedorismo nos acadêmicos, capacitando e dando suporte à criação e desenvolvimento de novas ideias de negócios.

De acordo com o gerente regional do Sebrae/PR, Orestes Hotz, o projeto é resultado da união entre dois grandes programas da entidade. “Unimos o trabalho de estímulo ao empreendedorismo no ambiente do Ensino Superior, com o Programa Educação Empreendedora, ao Ciclo de Capacitações Startup/PR, programa que auxilia pessoas que tem ideias inovadoras a transformá-las em negócios no modelo de startup”, resume.

Na parceria, enquanto o Sebrae/PR fica responsável pelo planejamento e assessoria ao projeto, o Centro Universitário FAG cede o espaço para as capacitações e um professor para coordenar as atividades. “Essa ação vem ao encontro dos objetivos da Instituição e complementará o projeto do Centro de Empreendedorismo da FAG, também resultado de parceria com o Sebrae, que está previsto para ser lançado em outubro de 2017”, destaca a professora Luciana Ferraz, que está à frente do projeto.

A intenção é que cerca de três mil estudantes dos penúltimos e antepenúltimos anos de todos os cursos do Centro Universitário FAG tenham conhecimento do Startup Garage e sejam sensibilizados a participar da seletiva da primeira fase do projeto. “Estimamos que perto de 200 estudantes concorram as 40 vagas para a segunda fase do Startup Garage. É nesta fase que serão criadas as equipes e as ideias serão formatadas”, aponta a consultora do Sebrae/PR, Nara Regiane Reinheimer Pick.

Etapas

O Startup Garage é dividido em fases. A primeira, de sensibilização e seleção dos acadêmicos deve durar quatro semanas e envolver cerca de 200 estudantes. A segunda, com duração de nove semanas e com o grupo de 40 acadêmicos, será para formação das equipes. “Neste momento, os acadêmicos vão trabalhar questões como comportamento empreendedor, tendências do mercado e modelo de negócios. Ao final das nove semanas, passarão por uma banca formada por professores e consultores, para apresentar as ideias de negócios”, explica o consultor do Sebrae/PR, Osvaldo Cesar Brotto.

A fase seguinte também tem duração de nove semanas e será focada no desenvolvimento das ideias apresentadas incluindo pesquisa de mercado e prototipagem. Para a avaliação, uma banca de especialistas selecionará as quatro melhores ideias que avançam para a quarta e última fase. Nesta, terão a oportunidade de participar do Empretec, capacitação oferecida pelo Sebrae/PR e reconhecida por transformar a visão e comportamento dos empreendedores.

A última fase dura 18 semanas e compreenderá a criação de site, estabelecimento de canais de vendas, formação de preços, a legalização da empresa e a formalização da primeira venda. Após a avaliação da banca junto a investidores, as equipes terão a oportunidade de buscar auxílio no lançamento das empresas no mercado.

Incentivo

A fim de inspirar os estudantes das instituições de ensino superior participantes do Startup Garage, os eventos de lançamento do projeto aos acadêmicos contam com a participação de empreendedores em startups. Em Cascavel, contaram seus relatos pessoais os empreendedores Marco Antônio Zanatta, de Cascavel, egresso da FAG e criador da startup Aprova Digital; e Maurício Reck, de Curitiba, da startup Una Smart, que contou, em particular, uma história de incentivo ao empreendedorismo.

“Minha graduação (em engenharia de controle e automação), em Santa Catarina, foi em instituição pública. O mestrado (engenharia de produção, nos Estados Unidos, também foi por meio público (Ciência Sem Fronteiras). Meu papel, agora, é de ‘give back’, retribuir aqui no Brasil o investimento a mim proporcionado. Contar minhas experiências com startups e empreendedorismo para estudantes nas universidades me faz lembrar e ser muito grato da trajetória”, comenta Maurício Reck.

Na apresentação aos acadêmicos do Centro FAG, Reck enfatizou cinco conselhos que daria a si mesmo na época em que estava na universidade. “O primeiro é aprender, buscar conhecimento sempre. Segundo, é ter mentores que te auxiliem e isso é muito mais fácil quando se está dentro da universidade, onde muita gente quer te ajudar. Em terceiro lugar, fazer networking. Em quarto, ter um bom ‘time’ ao seu lado, busque sempre quatro a cinco pessoas mais inteligentes que você. E, o quinto conselho é ‘comece agora’, pois quando mais se aprende, maior é a chance da ‘paralisia por análise’, na qual você não arrisca por medo”, contextualiza.