Riscos de AVC em mulheres devem ser investigados antes dos 50 anos

O AVC é uma das doenças que mais matam no mundo. Atualmente é responsável por mais mortes que a AIDS, tuberculose e malária juntas. No Brasil, o AVC é a primeira causa de morte e as sequelas podem atingir 50% das pessoas que tiveram derrame e são, muitas vezes, irreversíveis. A doença pode atingir pessoas de qualquer idade, tanto crianças quanto adultos. Entretanto, é mais comum em pessoas após os 65 anos de idade com fatores de risco para a doença. Porém, estudos têm comprovado a importância do check-up neurológico e a investigação da doença antes dos 50 anos, principalmente em mulheres.

Para prevenir o AVC, é importante antecipar exames que avaliam os riscos genéticos para trombose, por meio de uma investigação cuja finalidade é analisar o estado das artérias que levam sangue e oxigênio ao cérebro. A anamnese com neurologistas – histórico detalhado do paciente feito pelo médico durante a consulta -, também é importante para detectar sinais de perdas cognitivas, uma das características da demência. O comprometimento da memória e outros problemas degenerativos também podem ser detectados em testes específicos. Entender o funcionamento e o envelhecimento cerebral ainda é um desafio. Mas, exames de neuroimagem estão, a cada dia, contribuindo para desvendar melhor esta estrutura tão complexa.

De acordo com o neurocirurgião endovascular do HCor (Hospital do Coração), Dr. Marcus Alexandre Rotta, o primeiro passo da rotina do check-up neurológico é a consulta detalhada com o especialista e a avaliação neuropsicológica. “O eletroencefalograma com mapeamento cerebral, doppler de carótidas e a angiorressonância de crânio são indicados depois da anamnese, dependendo da história e da idade do paciente. Com esses instrumentos, conseguimos diagnosticar precocemente os males comuns nos pacientes com menos de 50 anos”, alerta Dr. Rotta.

 

Fatores de Risco

Embora o AVC esteja associado a idades mais avançadas, sendo mais comum a partir dos 65 anos, pode ocorrer em idades mais precoces. A hipertensão arterial, diabetes, os valores elevados de colesterol e triglicérides e as doenças cardíacas são os principais fatores de risco da doença vascular cerebral, em qualquer idade, a partir da carga genética. “No entanto, pessoas abaixo dos 50 anos com histórico familiar podem ter um AVC em consequência de condições clínicas mais raras (ruptura de um aneurisma cerebral, malformação arteriovenosa cerebral ou trombose venosa cerebral), que são difíceis de controlar”, esclarece o neurocirurgião.

A importância do check-up

Sabe-se que a prevenção é o melhor remédio. Por isso o ideal é fazer o check-up neurológico periodicamente. Com relação às doenças cardiovasculares, e aí se incluem principalmente o infarto do miocárdio, o acidente vascular cerebral (derrame) e a hipertensão arterial, sabemos que são as responsáveis pela morte de um em cada três adultos. “No indivíduo assintomático, sedentário e sem antecedentes cardiovasculares em si e na família, o check-up é recomendado a partir dos 30 anos. No caso daqueles que pretendem iniciar atividades esportivas e exercícios físicos em geral, recomendamos uma avaliação cardiológica rigorosa antes de começarem, independentemente da idade, principalmente se existirem casos de morte súbita e desmaios sem causa aparente na família”, alerta.

Segundo Dr. Marcus Rotta, é importante ficar atento aos valores da glicemia e do colesterol. “Se tiver hipertensão, respeite a medicação e as indicações médicas. Pratique exercícios físicos regularmente e evite o excesso de peso. A obesidade está diretamente relacionada com outros fatores de risco do AVC. O ideal é ter uma alimentação balanceada e evitar os alimentos ricos em gorduras saturadas (bolos, carnes gordas e frituras, por exemplo). Evite também o álcool e o tabaco”, relata.

Grupos de risco: os acidentes vasculares cerebrais ocorrem mais frequentemente ao longo da idade, e continuam sendo uma das principais causas de morte entre as pessoas que vivem em países desenvolvidos. Sendo assim, aquelas pessoas em situação de risco em relação ao acidente vascular cerebral são:

·         Diabéticos

·         Pessoas hipertensas e com colesterol alto

·         Obesos, com sobrepeso

·         Fumantes

·         Pessoas que ingerem anticoagulantes

·         Pacientes com problemas cardíacos ou que já sofreram infarto

·         Pacientes que usam drogas ilícitas, como cocaína e metanfetaminas

·         Normalmente o AVC é causado por outras doenças pré-existentes, sendo que essas são fatores de risco importantes para o surgimento do derrame.

rita@targetsp.com.br