Suplementos alimentares, exercício de resistência, perda de massa e força muscular abrem EndoSul

Congresso aconteceu entre os dias 4 e 6 de agosto, na sede da Associação Médica do Paraná, com uma vasta programação de palestras, conferências e debates relacionados à endocrinologia

Um debate sobre a Endocrinologia do Exercício e Suplementação Alimentar abriu a programação do 11º EndoSul – Congresso de Endocrinologia e Metabologia da Região Sul. O evento promovido pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná (SBEM-PR) conta com a presença de 400 médicos e profissionais de outras áreas da saúde.  O EndoSul acontece até domingo, na sede da Associação Médica do Paraná, com uma vasta programação de palestras, conferências e debates relacionados à endocrinologia.

A endocrinologista Victoria Borba, diretora do Departamento de Metabolismo Ósseo e vice-presidente da Abrasso – Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo, chamou a atenção para a importância do diagnóstico e tratamento precoce da sarcopenia, que é a perda de massa e força muscular relacionada ao envelhecimento. Atividade física, intervenção nutricional e medicamentos compõem o tripé de tratamento, que deve ser individualizado. A reposição de proteínas, creatina e prebióticos deve ser recomendada, já o uso de androgênicos está associado a efeitos colaterais como retenção hídrica, apneia do sono e risco cardiovascular. “Em idosos e doentes crônicos é importante fazer a devida triagem no consultório, avaliando força e desempenho físico. E, confirmada a sarcopenia, o tratamento deve ser individualizado”, recomenda a especialista.

Mestre em fisiologia do exercício e professor associado da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Sérgio Gregório da Silva falou sobre o Exercício Resistido e Controle de Peso. Considerado vital à saúde óssea nas mulheres no pós-menopausa e em idosos, o palestrante lembrou que, o exercício resistido (feito com máquinas, peso livre ou o próprio corpo) “é fundamental e deve ser utilizado como parte de programa de redução de peso e nós, agentes de saúde, temos que fazer que o exercício seja adotado como estilo de vida e relacionado ao prazer, ou não teremos aderência e os ganhos necessários”. Ele também chamou a atenção para estudos, demonstrando que dietas de restrição calórica mais exercício podem reduzir gordura e massa magra num primeiro ano e conduzir a um reganho de 100% da gordura perdida e redução de massa magra após sete.

O terceiro palestrante convidado foi o endocrinologista Fulvio Thomazelli, de Santa Catarina, que tratou da Eficácia e Segurança do Exercício Intervalado e de Alta Intensidade. Conhecido pela sigla HIIT (do inglês High Intensity Interval Training), este tipo de treino ganhou inúmeros adeptos no Brasil, mas sua indicação deve levar em conta o perfil do praticante, com uma atenção especial às lesões ortopédicas. Pelos estudos apresentados por Thomazelli, o HIIT tem se mostrado superior a exercícios de moderada intensidade, no que se refere ao condicionamento cardiorrespiratório, mas não conduz a melhorias significativas das variáveis metabólicas se comparado a outras atividades. “Apesar de seguro e bem tolerado, o HIIT não deve ser supervalorizado como método emagrecedor. É importante lembrar também que existem limitações e contraindicações que precisam ser respeitadas, por isso, a importância de implementar um programa progressivo e supervisionado”, alertou.

Fechando o debate a endocrinologista Rosana Radominski, do Serviço de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas falou sobre Mitos e Verdades dos Suplementos Alimentares. Além de apresentar dados sobre o consumo ideal de macronutrientes presentes na dieta, a especialista falou sobre whey protein, caseína, cafeína e creatina, os ergogênicos mais populares entre os praticantes de atividade física. “As pessoas usam por considerarem que são produtos naturais e que não trazem complicações. Mas a verdade é que alguns trazem efeitos adversos, caso dos termogênicos, e outros não tem um efeito de melhorar a performance como é esperado”, pontuou. Exceto em casos específicos, a maioria dos adultos pode obter todos os nutrientes que necessitam ingerindo uma dieta variada, com alimentos nutricionalmente densos. Uma performance de sucesso é, portanto, a soma de genética, treinamento e nutrição, somado a um sono reparador, equipamentos adequados e à atitude do praticante.

A programação científica segue com outros temas importantes, como os benefícios e riscos da suplementação de testosterona em homens com declínio relacionado à idade; atualização da terapia hormonal na menopausa; tratamentos medicamentosos na diabetes gestacional; terapias de reposição de hormônio do crescimento em crianças com baixa estatura; o papel das insulinas modernas; a conduta no transtorno de identidade de gênero; tratamento para mulheres com aumento de pelos ou calvície; a cirurgia bariátrica com objetivo de obter a remissão do diabetes; entre outros.

Veja a programação completa do 11º EndoSul no site www.endosul2017.com.br.

Palestrantes responderam perguntas do público

SERVIÇO
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Paraná | SBEM-PR

E-mail: sbempr@endocrino.org.br
Av. República Argentina, 369, cj. 1101, 11º andar,
Água Verde, Curitiba/PR CEP: 80240-210
Fone: (41) 3343-5338
www.sbempr.org.br|  www.facebook.com/sbemparana