13 doenças mais comuns em idosos

O envelhecimento traz mudanças no organismo e pode vir acompanhado de algumas doenças. Com o passar dos anos, alterações da audição, olfato, paladar, visão e tato tornam-se presentes no cotidiano dos idosos. Por isso, é importante conhecer estas mudanças e quais atitudes preventivas podem ser adotadas.

“A chegada à terceira idade pode ser tranquila. O caminho para o envelhecimento saudável dependerá da mudança da capacidade funcional”, explica Dr. Clóvis Cechinel, do Laboratório Frischmann Aisengart. “Cuidar da alimentação, praticar exercícios físicos e o acompanhamento médico são essenciais para manter uma vida saudável após os 60 anos”, menciona.

Doenças comuns

O envelhecimento pode vir acompanhado do surgimento de doenças, muitas vezes crônicas. Os males com maior frequência em idosos estão relacionados com a redução da imunidade e maior risco de infecção. Entre as doenças mais comuns estão as dos aparelhos circulatório e respiratório, cérebro, coração e visão. As 13 doenças mais comuns são: Alzheimer, AVC, câncer, catarata, diabetes, glaucoma, hipertensão, infarto, infecção urinária, osteoporose, Parkinson, pneumonia e surdez.

Cuidados com a saúde

Muitas das doenças pode ser prevenida ou adiada com um estilo de vida saudável e tratamentos adequados. Para prevenir doenças e ter uma boa qualidade de vida após os 60 anos é preciso adotar alguns cuidados com a saúde desde cedo. Incluir frutas, verduras, leite e vitaminas na alimentação é essencial. Além da prática de exercícios físicos regulares. Vale ressaltar que uma vida saudável na terceira idade estará relacionada com os cuidados cultivados durante a vida.

Riscos da automedicação

A automedicação é um hábito prejudicial e um risco para a saúde, principalmente para idosos. Os medicamentos, sem a recomendação médica, acabam maquiando os sintomas e confundindo o quadro clínico. A automedicação aumenta o risco de confusão dos sintomas, atraso no diagnóstico correto, intoxicação e desestabilizar os tratamentos em andamento com outros medicamentos.

Vida social

Outro detalhe importante é o idoso manter uma vida social ativa durante o envelhecimento. As relações com outras pessoas, incluindo o envolvimento com a família e comunidade, serão importantes para ampliar as chances de uma vida saudável após os 60 anos. Além da importância para a mente, estudos apontam um aumento na longevidade em idosos com uma vida social intensa.

redacao2@lidemultimidia.com.br