Alergias oculares aumentam com a chegada da primavera

Colírios para aliviar o desconforto não devem ser usados sem orientação médica, pois podem causar doenças graves

Com a chegada da primavera, as doenças alérgicas começam a incomodar muitas pessoas por causa da polinização. Os olhos costumam ser um dos mais afetados pelas alergias. “No consultório, as queixas por alergias oculares costumam dobrar nesta época. Muitas vezes, elas se manifestam em pacientes que têm rinite, tosse alérgica, asma e dermatites”, conta o oftalmologista Marco Canto, diretor da Clínica Canto.

O olho seco é outra enfermidade que também pode ocorrer. “Trata-se de uma doença que também costuma ser mais comum na primavera, ainda mais quando a umidade do ar está muito baixa, como estamos vivendo no Brasil”, explica Ana Paula Canto, oftalmologista da Clínica Canto.

Os sintomas das alergias oculares e olho seco podem incluir coceira, olhos vermelhos, secreção eventual e sensibilidade à luz. “Porém, o diagnóstico somente pode ser feito por meio de um exame oftalmológico”, comenta a Dra. Ana Paula. O tratamento das alergias inclui colírios lubrificantes, antialérgicos, corticoides ou imunomoduladores. Para os olhos secos indica-se colírios lubrificantes, e aumento da ingestão de líquidos. “É importante lembrar que nenhum colírio deve ser utilizado sem orientação médica, principalmente corticoides, que podem ter como efeito colateral o aumento da pressão ocular e o desenvolvimento de catarata”, ressalta.

Os oftalmologistas também orientam os pacientes com alergias oculares a fazerem compressas geladas para aliviar o desconforto e coceira. “Contudo, em hipótese alguma o paciente deve coçar os olhos, pois isso pode machucar ou causar deformidades na córnea, que é a lente transparente na frente do olho”, alerta Dr. Geraldo Canto, oftalmologista da Clínica Canto.

Prevenção
As alergias são uma doença crônica recorrente, ainda mais na primavera, quando os fatores desencadeantes, como o pólen, estão no ar. “A alergia é uma hipersensibilidade a um antígeno, que é toda substância estranha ao organismo. E os antígenos podem ser qualquer coisa, desde poeira e ácaros à componentes de plantas”, observa Marco Canto e acrescenta: “As alergias aumentam com o contato às substâncias e progridem até a idade adulta. Na terceira idade elas costuma diminuir, pois o sistema imunológico fica menos reativo.”

Mas, é possível tomar algumas medidas para tentar prevenir as alergias. Os oftalmologistas da Clínica Canto dão dicas para ajudar a evitar crises alérgicas:

– Tente identificar o que causa a alergia, se é quando você tem contato com uma planta, poeira, algum produto de limpeza, cremes, entre outras substâncias;

– Evite o consumo de alimentos que são potencialmente alérgicos, como frutos do mar, ovos, amendoins, entre outros, principalmente, para as crianças e idosos;

– Mantenha a casa limpa e arejada. Para isso, procure usar aspirador de pó em vez de vassouras e utilize um pano úmido para retirar o pó;

– Procure lavar com mais frequência lençóis, travesseiros, almofadas, cortinas, tapetes e bichos de pelúcia;

– Faça uma limpeza semanal em aparelhos de ar-condicionado e ventiladores;

– Tente evitar ambientes com muita poeira ou fumaça;

– Se o tempo estiver muito seco, utilize umidificadores de ar, toalhas molhadas ou bacias de água para ajudar a aumentar a umidade do ar nos cômodos da casa.

 

Sobre a Clínica Canto
Com mais de 30 anos, a Clínica Canto, de Curitiba, oferece serviços de oftalmologia com médicos especializados, priorizando a qualidade diagnóstica e terapêutica para seus pacientes. Com duas unidades em Curitiba, no Centro e no Seminário, oferece moderna e completa infraestrutura para exames simples ou de alta complexidade e cirurgias oftalmológicas. Mais informações no site www.clinicacanto.com.br.