Médico da Cardio&Saúde realiza palestra sobre cardio-oncologia no idoso em jornada científica

O cardiologista e responsável pelo serviço de cardio-oncologia da Clínica Cardio&Saúde, Dr. Sanderson Cauduro.

O cardiologista e responsável pelo serviço de cardio-oncologia da Clínica Cardio&Saúde, Dr. Sanderson Cauduro, será um dos palestrantes da VI Jornada Científica do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), que acontece no dia 20 de setembro, das 7h30 às 16h45 no Hotel Sheraton, em Curitiba. O tema do evento será “Paciente idoso: vivendo com e além do câncer” e o cardiologista irá abordar “Cardio-oncologia no idoso: prevenindo e tratando”.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a população idosa está crescendo no Brasil, e a previsão é que ultrapassará o número de crianças em 2030, com 41,5 milhões de pessoas (18% do total da população) e pode chegar a 66,5 milhões (29,3%) em 2050.

Essa estatística aponta para a necessidade de que os idosos tenham uma melhor qualidade de vida para, de forma preventiva, superar essa fase em que doenças típicas do envelhecimento, como as cardíacas, começam a se manifestar. Segundo Dr. Sanderson, com o avançoa idade há uma maior tendência de desenvolver doenças cardíacas, que são as que mais matam no mundo hoje, e a prevenção é fator determinante na contenção dessas doenças, principalmente quando se trata de pacientes oncológicos.

O acompanhamento do cardiologista com o paciente idoso oncológico se diferencia pela necessidade de uma maior frequência no número de consultas e ainda porque os exames a serem realizados devem ser mais direcionados às peculiaridades do tratamento oncológico. “Quando o paciente passa pela quimioterapia, a avaliação da função cardíaca deve ser mais frequente”, esclarece Dr. Sanderson.

O acompanhamento que o cardiologista oferece a esses pacientes oncológicos é mais individualizado em função das abordagens terapêuticas adotadas para tratar a neoplasia. “Com a radioterapia na região do tórax, por exemplo, o paciente terá maior chance de desenvolver doenças de válvulas cardíacas ou infarto do miocárdio”, afirma.

Atualmente, os tratamentos para o câncer, cada vez mais avançados, possibilitam ao paciente vencer a doença, mas, após curar-se de um câncer, há que se evitar as complicações cardiológicas secundárias desse tratamento. Dr. Sanderson Cauduro esclarece que “Durante o tratamento oncológico, o organismo muda e o acompanhamento com o médico especialista em cardio-oncologia é essencial para ajudar o paciente a evitar qualquer problema após o tratamento”. O cardiologista finaliza lembrando que “a prevenção será sempre o melhor remédio”.

Serviço:
VI Jornada Científica do Instituto de Oncologia do Paraná

Data: 20 de setembro (das 7h30 às 16h45)

Local: Four Points by Sheraton, Avenida Sete de Setembro, 4.211, Batel, Curitiba.
Informações:  http://www.jornadaiop.com.br/home.asp ou com a Secretaria Executiva (41) 3022-1247. As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas.