Paraná é o segundo estado com maior número de lojas da rede de franquia Petland

O estado do Paraná está em segundo lugar no ranking de lojas da franquia Petland, rede americana para pet shop, seguido por São Paulo. No terceiro ano de operação em Curitiba, a marca avança com a inauguração da 5ª unidade de 370 metros quadrados no bairro Água Verde, no próximo dia 16. “Os planos de expansão para 2017 têm como foco a conversão de bandeira. A meta é converter três lojas e estamos em negociação com um investidor de Maringá”, antecipa o máster franqueado Fernando Belleza.

Outros bairros também estão sendo mapeados pela empresa para o crescimento da rede no Paraná, entre eles Santa Felicidade, incluindo também cidades do interior, como Londrina e Cascavel.

A conversão de bandeira tem se provado eficaz e rentável aos franqueados que converteram suas operações. De acordo com Rodrigo Albuquerque, sócio-diretor da Petland e responsável pela expansão no Brasil, 15% da rede são de lojas convertidas. “A tendência para os próximos anos é que a conversão corresponda a mais de 50% da nossa operação. Com o suporte da rede, o empresário consegue melhores descontos com os fornecedores, um pacote de ferramentas de gestão, consultoria de campo mensal, avaliações de loja direcionadas, eventos focados em inteligência de vendas e grandes melhorias de margens de lucro”, afirma Albuquerque

Fernando, que vem de uma família com experiência em franquia, inclusive já trabalhou no setor de estética, atribui ao modelo de negócios da Petland o grande diferencial para atrair o interesse de novos investidores. “Desde que iniciamos abrimos a primeira loja no bairro do Batel, temos mantido um ticket médio de R$ 110,00. A filosofia da Petland não é vender apenas produto ou ração, mas oferecer ao cliente uma experiência de compra com transmissão de informação para que ele e seu animal de estimação possam conviver da melhor forma”, afirma.

Os pilares de sucesso da marca, presente em 19 países, são sustentados pela “Experiência de compra”, com espaços de socialização que permitem aos clientes interagir com os animais; a “Transmissão de informação”; “Política de preço baixo”; e “Responsabilidade social”, por meio de campanhas de adoção de cães e gatos.

Modelo das lojas e investimento
O investimento inicial na franquia é a partir de R$ 299 mil, incluindo o treinamento de sete dias na Universidade Petland (presencial e on-line), que consiste em transmissão de informação continuada, ou seja, que vai além daquela disponibilizada no início da operação.  O prazo de contrato é de cinco anos, e o retorno vem de 24 a 36 meses. Atualmente são 53 lojas, entre abertas e em operação, nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Rio de Janeiro, Maranhão, Paraná, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Fortaleza.

A empresa oferece diversos formatos de lojas para atrair novos investidores seja como franqueado ou master franqueado: “Light”/compacta (sem filhotes), com área de 80m2 até 169 m2, ; “Full”/completa (com filhotes), com tamanhos entre 170m2 até 399m2; e “Experience”, mesmo padrão da loja completa, porém com área acima de 400m2. A loja compacta tem algumas vantagens econômicas como custo de instalação reduzido, custo de ocupação até 50% menor e maior facilidade operacional. O faturamento médio, dependendo do tamanho da loja, pode chegar a R$ 1.200 /m² quando a empresa atinge maturidade.

Sobre a Petland
Inspirada na filosofia de entretenimento americana, a Petland foi fundada em 1967, com a ideia de potencializar a interatividade entre humano e animal. Em meados da década de 1970 a empresa iniciou seu processo de expansão via franquias e internacionalizou-se a partir do Canadá. Hoje, a rede está em 19 países: Estados: Estados Unidos, Canadá, Japão, China, África do Sul, México, Brasil, Honduras, Guatemala, El Salvador, Nicarágua, Árabia Saudita, Emirados Árabes, Egito, Turquia, Qatar, Líbano, Kuwait e Bahrein. Mais informações: http://www.petlandbr.com.br/ teresa.silva@comuniquese2.com.br