Bienal de Curitiba incentiva intercâmbio com China

“A cultura constrói uma ponte entre os dois países e aprofunda a parceria entre nós, rumo ao desenvolvimento de ambos”, declarou o ministro da Cultura da China, Luo Shugang, na abertura da Bienal de Curitiba’17, na noite de sábado (dia 30/09). Ao lado do ministro brasileiro, Sérgio Sá Leitão, que salientou a importância do evento nas relações entre os dois países, Shugang disse que esta é a primeira vez que uma exposição tão grande e tão relevante da arte contemporânea chinesa é exibida no exterior. Esta também é a primeira vez que o ministro da Cultura vem ao Paraná.

A República Popular da China é o país homenageado desta edição da mostra internacional, e trouxe 238 obras para o Brasil. A maior parte delas ocupa espaços de destaque no Museu Oscar Niemeyer, um dos mais de cem locais ocupados pela Bienal em Curitiba e em outras cidades do Brasil e da América do Sul. A China também doou à cidade uma enorme e valiosíssima escultura do filósofo Confúcio, do artista Wu Weishan. Tamanha deferência, de acordo com o ministro chinês, revela o interesse daquele país em aprofundar as relações com o Brasil.

O governador Beto Richa apontou o “timing” adequado em que aumentam as relações entre os dois países; nos últimos anos, segundo ele, a China se converteu no maior parceiro comercial do Estado do Paraná, capitaneando também vultosos investimentos em empreendimentos produtivos. “E isso é apenas o começo de ganhos crescentes e recíprocos”, afirmou. Em sua opinião, trata-se de uma parceria vital entre o Paraná e a China para o desenvolvimento econômico de ambos, que ”dispõem de recursos complementares, não concorrentes”.

Intitulada “Antípodas – Diverso e Reverso”, a Bienal de Curitiba exibe trabalhos de artistas brasileiros e de países dos cinco continentes. A solenidade de abertura no MON foi acompanhada por mais de 200 autoridades de instituições públicas e privadas e recebeu a visita de mais de 2 mil convidados brasileiros e estrangeiros.

A mostra, que se espalha por toda Curitiba, pode ser vista até 25 de fevereiro do próximo ano. Realizada há 24 anos, a Bienal já se transformou em referência em arte contemporânea, reconhecida como o maior evento de arte contemporânea da América Latina e um dos principais eventos de arte do circuito mundial. Nos cinco meses do evento são esperados mais de um milhão de visitantes.

A Bienal de Curitiba’17 acontece nos seguintes espaços:

Mostra: Oscar Niemeyer, Largo da China, Museu Municipal de Arte e Memorial de Curitiba.

Circuito de Museus: Museu da Fotografia, Memorial de Curitiba, Museu Paranaense, Museu Alfredo Andersen, Museu de Arte Indígena e Museu Municipal de Arte.

Circuito Integrado: Hall da Secretaria de Estado da Cultura, SESC Paço da Liberdade, Biblioteca Pública do Paraná, Galeria InterARTividade/Pátio Batel, Galeria da Associação de Artistas Plásticos do Paraná, Ordem dos Advogados do Brasil – Paraná, Palacete dos Leões – BRDE, Solar do Barão e Ateliê de Escultura do Centro de Criatividade de Curitiba – no Parque São Lourenço.

Circuito de Galerias: ARQ/ART Galeria, Boiler Galeria, Riviso Galeria, Sim Galeria, Simões de Assis, Solar do Rosário, Ybakatu, Zilda Fraletti, Zuleika Bisacchi, Airez Galeria, Estúdio e Galeria Teix, Das Nuvens, Galeria e Atelier Soma e Ponto de Fuga.

Circuito Gastronômico: Botanique, Marbô Gastronomia, Café Bathé, Dizzy Café Concerto, Novo James Bar, Bar do Alemão e Ornitorrinco.

Circuito Infantil: Casa da Leitura Miguel de Cervantes, Bistrozinho, Villa Mariantonio, Centro Juvenil de Artes Plásticas e Escola Anjo da Guarda.

Circuito Universitário: EMBAP – Escola de Música e Belas Artes do Paraná/Unespar, DeArtes – Departamento de Artes da UFPR, MUSA – Museu de Arte da UFPR, Museu Metropolitano de Arte – Sala de Arte Digital e Museu da Gravura de Curitiba.

Circuito de Arquitetura: Palácio Iguaçu e Palácio das Araucárias.

Mais de 50 outros espaços da cidade serão ocupados em atividades da Bienal de Curitiba que serão realizadas a partir de novembro de 2017.

A Bienal em Florianópolis ocupará dois espaços: no dia 30 também aconteceu a abertura da exposição que está no MESC – Museu da Escola Catarinense e na próxima quinta-feira (dia 5 de outubro de 2017) acontece a inauguração da Bienal na Fundação Cultural BADESC. Já estão abertas também as exposições da Bienal de Curitiba na Argentina: no Espaço Cultural da Embaixada do Brasil em Buenos Aires e no MAR – Museu de Arte Contemporânea de Buenos Aires, em Mar Del Plata, Integrando a programação da BienalSur. Nas próximas semanas serão inaugurada as exposições da Bienal no Museu do Barro, em Assunção – Paraguay, e no Centro Cultural Gabriela Mistral, em Santiago do Chile.

Chancelas

Patrocínio: Copel, Fomento Paraná, Sanepar, Itaipu, Horizons Telecom, Furnas, BYD e Huawei.

China, país homenageado: China ArtsandEntertainmentGroup, CAEG, Ministério da Cultura da República Popular da China, Embaixada da República Popular da China no Brasil e Consulado Geral da República Popular da China em São Paulo

Parceria com a China: Prefeitura de Hangzhou, Governo da Província de Zhejiang, Shanghai Biennale e CAFAM Biennale.

Apoio: Museu Nacional do Mar – SC, Fundação Catarinense de Cultura – FCC, Superintendência do Iphan em Santa Catarina, Fundação Cultural Ilha de São Francisco do Sul – SC, Fundação Cultural Badesc, Museu Escola de Santa Catarina – MESC, SESC Paraná e MR Civil.

Apoio de Mídia:  Arte!Brasileiros, Art.es – International-contemporary-art, Revista Ideias, Artforum, Frieze, Art.facts.net, Artecapital.net, AAL – Arte Al Limite, Select, Where Curitiba, Carta Capital, Viver Curitiba, R.Nott – Magazine, Top View, Aldeia, Revista Piaui e DasArtes.

Hotéis: Hotel da Bienal de Curitiba: Intercity Hotels; Hotel Parceiro da Bienal de Curitiba: Hotel Bourbon Curitiba.

Construtora da Bienal: STM Construtora

Apoio Institucional: Ministério das Relações Exteriores do Governo Federal, Receita Federal do Governo Federal, INFRAERO e UNESCO – Curitiba Capital do Design.

Apoio Internacional: Embaixada do Brasil em Pequim – CH, Embaixada do Brasil em Berna – CH, Embaixada do Brasil em Buenos Aires – AR, Embaixada da Argentina no Brasil, Consulado da Argentina em Curitiba, Consulado Geral da Itália em Curitiba, Consulado Geral do Paraguay em Curitiba, Embaixada da Suíça em Brasília, Fundação Pro Helvetia, Consulado Honorário da Suíça em Curitiba, Embaixada da Colômbia no Brasil, Embaixada do Chile no Brasil, Consulado Honorário do Chile em Curitiba, Embaixada da Finlândia no Brasil, Consulado da Finlândia em São Paulo e Montana State University – EUA.

Parceria Internacional: Museu de Arte Contemporânea de Mar Del Plata – AR, Museu de Arte Contemporânea de Salta – AR, Espaço Cultural da Embaixada do Brasil em Buenos Aires, Museo del Barro – Assunção – PY, Bienal Sur e Centro Cultural CABILDO – Assunção – PY.

Realização: Ministério da Cultura do Governo Federal, Museu Oscar Niemeyer/Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Paraná, Fundação Cultural de Curitiba/Prefeitura Municipal de Curitiba.

 

Embaixador da China no Brasil Li Jinzhang na abertura da Bienal de Curitiba 2017 no MON. Foto: Mariana Alves

Prefeito Rafael Greca e governador Beto Richa na abertura da Bienal de Curitiba 2017 no MON. Foto: Mariana Alves

O ministro da Cultura  Sérgio Sá Leitão na abertura da Bienal de Curitiba 2017 no MON. Foto: Mariana Alves

Fila para ver obras da Bienal de Curitiba 2017 na abertura do evento no MON. Foto: Irmãos Thoms