Dores nas costas ou nas articulações? Sintomas comuns podem ser sinais de artrites

A dor nas costas afeta oito em cada dez pessoas em alguma fase de vida1 e pode ser de difícil diagnóstico. Porém, é preciso buscar informações com especialista, pois esse pode ser um sintoma de um tipo de artrite que deforma a coluna, a espondilite anquilosante.7 Esta doença atinge cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil3 e causa inflamações em diversas articulações no corpo e especialmente na coluna vertebral. Se não tratada de forma efetiva, pode evoluir para perda irreversível dos movimentos causada pelos anos de inflamação2, 4.

“As dores vinham antes na coluna, mas eram toleráveis. Sempre tratada com anti-inflamatórios e resolviam no momento, mas em 2006 tive a primeira grande crise”, relata Samuel Oliveira, educador físico, paciente com espondilite anquilosante e desenvolvedor do blog Espondilite Brasil. “Tive uma inflamação no tornozelo direito, como se fosse uma entorse. Depois, fisioterapia sem resultados e passou a inflamar o joelho esquerdo. A dor era incapacitante. Queimava, ardia, ficava vermelho e inchado nas articulações. Em pouco tempo tinha muitas articulações inflamadas”.

O principal sintoma da espondilite anquilosante é uma dor lombar persistente, por mais de três meses4. Uma simples dor nas costas ou nas nádegas pode evoluir e chegar a causar dificuldades para a pessoa se movimentar2. Por ser um sintoma comum, o diagnóstico pode acabar demorando. Um paciente com a espondilite anquilosante chega a demorar, em média, oito anos para ter o diagnóstico, principalmente por desconhecimento dos sintomas8. “Do início da investigação até iniciar um tratamento efetivo foram 2 anos e meio de martírio. O tratamento correto veio com o diagnóstico no final de 2006”, destaca Oliveira.

Outra artrite que muitas vezes passa despercebida é a artrite psoriásica. A enfermidade relacionada à doença de pele5, acaba sendo não diagnosticada em um quarto dos casos e causa mais prejuízo à qualidade de vida da pessoa com psoríase6. Estima-se que 10% das pessoas com a psoríase possa ter essa artrite5. “Descobri que tinha artrite psoriásica em 2015, mas desde 2006 já sentia dores na coluna e cheguei a fazer cirurgia de hérnia de disco. Após sentir dores nos calcanhares, lombar e nas mãos, conversei com a minha médica e ela identificou que essas dores eram relacionadas à essa forma de artrite”, ressalta Thays Ciconi – paciente com psoríase há 26 anos e fundadora do blog Amigos com Psoríase”, ressalta Thays Ciconi – paciente com psoríase há 27 anos e fundadora do blog Amigos com Psoríase.

Ainda se busca a cura para a espondilite anquilosante, porém com o tratamento adequado, prática de exercícios físicos e fisioterapia, o paciente poderá seguir sua vida sem limitações. O tratamento é feito com terapias para alívio da dor e anti-inflamatórios2,4. Os medicamentos biológicos, são indicados para pacientes que não apresentam boa resposta ao tratamento convencional4. “Estou em remissão há 4 anos. Atualmente faço natação diariamente e mantenho o acompanhamento periódico, com reumatologista, neurologista, dermatologista e psiquiatra. Tenho algumas lesões permanentes, porém sem necessidade de analgésicos”, destaca Samuel.

 

Sintomas

O reumatologista é o especialista que poderá verificar se há indício dessas doenças. Caso sinta algum dos sintomas abaixo, procure um atendimento médico especializado que poderá identificar se você tem a espondilite anquilosante, para que você seja orientado e tratado adequadamente.

 

Sintomas mais comuns da espondilite anquilosante:

  • Dor lombar persistente e significativa9
  • Dor nas nádegas, possivelmente se espalhando pela parte de trás das coxas e pela parte inferior da coluna9
  • Aumento da dor com repouso, sendo pior pela manhã9
  • Cansaço, perda de apetite e também perdem peso9
  • Sensação de enrijecimento na coluna (rigidez), com dificuldade na mobilização9

 

Sintomas mais comuns da atrite psoriásica:

  • Dor e inchaço nas juntas10
  • Rigidez, principalmente durante a manhã ou após repouso10
  • Fadiga10
  • Pele com lesão e descamação, além de mudanças nas unhas10
  • Redução na extensão dos movimentos10

 

Sobre a Espondilite Anquilosante

Estima-se que 1 em cada 100 indivíduos no mundo sofram com espondilite anquilosante11. Cerca de 20% a 40% dos pacientes tratados com terapia anti-TNFα (anti-Fator de Necrose Tumoral) não apresentam resposta satisfatória a este tratamento4. Segundo as novas recomendações do EULAR – organização europeia que representa pacientes com artrite, medicamentos biológicos (não limitandos aos anti-TNF) devem ser considerados em pacientes com espondilite anquilosante que não respondem bem aos tratamentos convencionais.12

Até o momento, os agentes anti-TNF são a única opção de medicamentos biológicos disponíveis no SUS13. Porém, já existem tratamentos em que 80% dos pacientes não apresentaram progressão da doença (radiográfica) na coluna vertebral14.

 

Sobre a Artrite Psoriásica

Artrite psoriásica é uma doença crônica, inflamatória, que afeta tanto as articulações quanto a pele. Tipicamente é a junção de duas manifestações clínicas: a artrite (dor e inflamação nas articulações) e a psoríase (lesões descamativas na pele)15. Os sintomas incluem dor e rigidez nas articulações, psoríase na pele e nas unhas, dedos inchados, inchaço doloroso persistente dos tendões e danos irreversíveis nas articulações6,15,16.

Cerca de 30% dos pacientes com psoríase desenvolvem artrite psoriásica e estima-se que uma em cada quatro pessoas com psoríase possam ter a doença não diagnosticada.6,16

Mesmo após estarem recebendo algum tratamento para a doença, muitos pacientes continuam apresentando sintomas. Cerca de 40-50% dos pacientes com artrite psoriásica estão insatisfeitos com o tratamento17 e apenas 25% dos pacientes com psoríase e/ou artrite psoriásica se encontram satisfeitos com as terapias orais tradicionais18. Aproximadamente 30 a 46% dos pacientes descontinuaram o tratamento com medicamentos anti-TNF durante o período de um ano.18

O programa Bem-Estar é um serviço de adesão ao tratamento, que oferece informações, acompanhamento e disponibiliza serviços para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Entre em contato com a central de atendimento do Programa Bem-Estar por meio do telefone 0800-776-6300 e informe-se!

 

Referências

  1. MedlinePlus – National Institutes of Health (NIH). Back Pain. Disponível em http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/backpain.html. Último acesso em outubro de 2017.
  2. Sociedade Brasileira de Reumatologia. Espondilite Anquilosante. Disponível em: http://www.reumatologia.com.br/PDFs/Cartilha_Espondilite_Anquilosante.pdf. Acesso em: outubro de 2017.
  3. O que é espondilite anquilosante? Disponível em: http://saude.novartis.com.br/dornascostas/o-que-e-espondilite-anquilosante/. Acesso em: outubro de 2017.
  4. Dougados M, Baeten D. Spondyloarthritis. Lancet. Jun 18;377(9783):2127-37, 2011.
  5. Sociedade Brasileira de Reumatologia. Disponível em: http://www.reumatologia.com.br/PDFs/Cartilha_Artrite_Psoriasica.pdf. Acesso em: outubro de 2017.
  6. PR Newswire. Press release: Nearly one in four people with psoriasis may have undiagnosed psoriatic arthritis according to a recent study from the National Psoriasis Foundation. Disponível em: http://www.prnewswire.com/news-releases/nearly-one-in-four-people-with-psoriasis-may-have-undiagnosed-psoriatic-arthritis-according-to-a-recent-study-from-the-national-psoriasis-foundation-131595923.html. Acesso em: outubro de 2015.
  7. Lories RJ, Haroon N. Bone formation in axial spondyloarthritis. Best Pract Res Clin Rheumatol. 2014 Oct;28(5):765-77.
  8. Reed MD et al. Ankylosing spondylitis: an Australian experience. Intern Med J 2008;38:321–27.
  9. SBR. Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/2016/02/01/espondiloartropatias-soronegativas . Acesso em outubro de 2017.
  10. Arthritis Foundation. Disponível em: http://www.arthritis.org/about-arthritis/types/psoriatic-arthritis/symptoms.php. Acesso em: outubro de 2017.
  11. J Sieper et al. Ankylosing spondylitis: an overview. Ann Rheum Dis; 61(Suppl III):iii8–iii18, 2002.
  12. Van der Heijde D, Ramiro S, Landewé R et al. 2016 update of the ASAS-EULAR management recommendations for axial spondyloarthritis. Ann Rheum Dis. 2017 Jan 13.
  13. Portaria n°1204. Ministério da Saúde. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/05/Publica—-o-nov2014-Artrite-Psor–aca.pdf. Acesso em: outubro/2017.
  14. Braun J, Baraliakos X, Deodhar A, et al. Effect of secukinumab on clinical and radiographic outcomes in ankylosing spondylitis: 2-year results from the randomised phase III MEASURE 1 study. Ann Rheum Dis. 2016 Dec 13.
  15. American College of Rheumatology. Psoriatic Arthritis. Disponível em: http://www.rheumatology.org/I-Am-A/Patient-Caregiver/Diseases-Conditions/Psoriatic-Arthritis. Acesso em: outubro de 2017.
  16. Alice Gottlieb et al.  Guidelines of care for the management of psoriasis and psoriatic arthritis: Section 2. Psoriatic arthritis: Overview and guidelines of care for treatment with an emphasis on the biologics. Journal of the American Academy of Dermatology. Volume 58, Issue 5, May 2008, Pages 851-864.
  17. Armstrong AW, Robertson AD, Wu J, et al. Undertreatment, treatment trends, and treatment dissatisfaction among patients with psoriasis and psoriatic arthritis in the United States: findings from the National Psoriasis Foundation surveys, 2003-2011. JAMA Dermatol. 2013 Oct;149(10):1180-5.
  18. Lebwohl MG, Bachelez H, Barker J et al. (2014). Patient perspectives in the management of psoriasis: results from the population‐based Multinational Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis Survey. J Am Acad Dermatol, 70(5), 871‐881.  bruna.ribeiro@conteudonet.com