Homens e mulheres enxergam o mundo de maneira distinta

Pesquisas realizadas por agência de casamentos comprovam: eles são mais diretos e têm um foco, elas são mais detalhistas e prestam atenção no conjunto

É comum pesquisas evidenciarem que homens e mulheres não são diferentes apenas fisicamente. Desde épocas primitivas, os cérebros de ambos são condicionados a distintas percepções. Eles possuem mais aptidões para direção, como localização, orientação e posicionamento. São mais práticos e priorizam um foco. Elas têm uma visão mais periférica e maior sensibilidade, além de conseguirem realizar mais atividades ao mesmo tempo.

Depois de realizar pesquisas com homens e mulheres, a agência de casamentos Par Ideal, comprovou isso. Quando questionados sobre o que reparam primeiro no sexo oposto a maioria deles respondeu o sorriso e elas o conjunto. Sheila Rigler, proprietária da agência e coaching em relacionamentos, destaca que mulheres analisam o todo e eles em fragmentos.

“Em poucos minutos o sexo feminino consegue descrever como ele é, como estava vestido, como era o seu cabelo, a suas mãos e assim por diante. Já o homem, não tem essa percepção do todo, olha o rosto, o cabelo ou as mãos, uma coisa de cada vez”, evidencia Sheila.

Pesquisas recentes na área de neurociência evidenciam que a estrutura do cérebro, maneira como os neurônios conectam-se e a quantidade de hormônios que agem no órgão, afeta de modo distinto os comportamentos e preferências de homens e mulheres. Sheila analisa que as partes da estrutura cerebral masculina são mais ativas que outras, com uma tendência para tarefas específicas.

“A informação, neles, separa-se em fragmentos. Por isso, enxergam partes das mulheres separadamente. Já os hemisférios cerebrais femininos são utilizados de maneira mais completa, com uma capacidade maior de efetuar atividades simultaneamente. As informações delas conectam-se como um sistema único. Isso justifica o fato de conseguirem prestar atenção no todo do homem. Elas conseguem descrever o homem da cabeça aos pés em uma olhada”, avalia a diretora.

A Universidade de Nova York realizou testes que complementam este assunto e mostram que eles têm mais sensibilidade para detalhes em movimentos rápidos e conseguem distinguir figuras mais rapidamente que as mulheres. Elas, por sua vez, diferenciam melhor as cores e conseguem enxergar melhor no escuro.