Intercâmbio na Ilha de Malta traz experiências culturais e aprendizado de inglês para maiores de 50 anos

Aulas tradicionais intercaladas com experiências culturais, gastronômicas e turísticas marcaram o aprendizado de inglês na Ilha de Malta, das 14 alunas da Tea Time- Inglês para Maiores de 50 anos, entre os dias 30 de setembro a 14 de outubro. Foi em abril deste ano que elas começaram a se organizar para realizar um sonho que estava engavetado há décadas: fazer um programa de intercâmbio no exterior. Com isso em mente, as 14 alunas da Tea Time – única escola de inglês pensada exclusivamente para pessoas com mais de 50 anos no Brasil – aceitaram o convite da instituição em parceria com o World Study para embarcar nessa viagem.

Esta não foi uma escolha qualquer. Malta, localizada no Sul do continente europeu,  é conhecida pelas suas belezas e produções cinematográficas internacionais e já foi cenário de filmes e séries como “Game of Thrones”, “Tróia”, “Capitão Phillips” e “Guerra Mundial Z”. Inclusive os turistas podem visitar o ainda intacto cenário do filme Popeye, transformado num divertido ponto turístico. Malta também é conhecida por ser um dos primeiros lugares do mundo a oferecer um método de estudo de inglês para maiores de 50 anos. As línguas oficiais do país são o inglês e, claro, o maltês.

O grupo ficou baseado na cidade de Sliema. Foram duas semanas de outubro que misturaram estudo e lazer. Pela manhã as alunas tinham aulas de inglês na LAL e à tarde faziam atividades extras com passeios turísticos para praticar o aprendizado de inglês. “A viagem acabou proporcionando para os alunos a possibilidade de testar o inglês. Como os professores não falavam o português, as alunas foram desenvolvendo a habilidade que já tinham e melhorando a conversação e a escrita”, afirma a coordenadora acadêmica da Tea Time, Taiza Lombardi, que acompanhou o grupo à Ilha de Malta. Ela ressalta ainda que todos os professores da escola eram de países cuja população fala o Inglês como primeira língua, como a Irlanda, Escócia, Inglaterra e a Ilha de Malta.

Os passeios turísticos de fim de semana ficaram por conta da escola e do próprio grupo. As alunas passearam em Mdina, antiga capital de Malta, foram ao cinema, degustaram vinho em Marsovin, tiveram visita guiada a Gozo, ilha “irmã” de Malta, e também em Valetta, fizeram um cruzeiro pela baía, Blue Grotto & Marsaxlokk, e participaram de jantar tradicional maltês.

A aluna da Tea Time, a aposentada e ex-empresária Joana Estela Gulin, 63 anos, achou a experiência “maravilhosa” porque conseguiu interagir com pessoas do mundo inteiro e se relacionar com elas. Joana Estela ficou surpresa com a avaliação do aprendizado na escola – 96%. “Foi uma experiência fantástica que valeu muito a pena”, avalia. Ela viajou sem a família e não teve problemas, pois está acostumada a viajar sozinha. “O grupo foi bem bacana e nos demos muito bem”, diz.

A ex-empresária afirma que todas as pessoas acima dos 50 anos deveriam passar pelo intercâmbio. “Tenho 63 anos e voltei a estudar inglês. A gente proporciona intercâmbio para os filhos e achamos que não temos tempo para isso. Aconselho a ter essa experiência. Em Malta vi muitos casais aposentados da Alemanha estudando e curtindo o país”, observa. Segundo Joana Estela, Malta é “incrível” e tem muita história para contar. Ela destaca os museus e templos que conheceu e também as festas de rua, as confeitarias e o povo de Malta que é muito acolhedor. Ela ressalta também a beleza das cidades com destaque para Mdina e Valetta, que é a capital da Ilha de Malta.

A cultura diferente da ex-colônia britânica encantou a funcionária pública aposentada Silmara Ana Roesner Haase, 56 anos: cidades antigas, ruínas e a beleza de Malta. Ela conta que na primeira semana já se sentia em casa, pois chegou com a expectativa da incógnita de não saber o que ia encontrar na Ilha. “Foi tudo muito bem, inclusive a organização”, avalia. O que mais lhe chamou a atenção no aprendizado da língua inglesa foi o desenvolvimento da habilidade de entender o inglês das pessoas de várias partes do mundo que estudaram com ela na LAL. “Evolui da primeira para a segunda semana e já entendia o que as pessoas falavam. Aprendi bastante coisa e ampliei meu vocabulário”, conclui.

Tea Time 

Inaugurada em 2012, as duas unidades da Tea Time contam atualmente com 170 alunos e 10 professores, e vem crescendo a cada ano. A filosofia da escola se baseia no respeito às expectativas e às experiências de vida de pessoas que querem aprender inglês depois dos 50 anos. A opção por ensinar inglês aos maiores de 50 anos é um compromisso da Tea Time com a vivência de cada aluno. Para garantir a promessa, a equipe de professores e colaboradores tem formação continuada.

Ilha de Malta

Alunas da Tea Time – Inglês para Maiores de 50, de Curitiba, na Ilha de Malta

Fotos: Divulgação