Plataforma de gestão de campanhas de links patrocinados é novidade no Brasil

Ferramenta automatizada, focada em resultados e otimização em tempo real, possibilita a criação de campanhas, anúncios e palavras-chave específicos para cada produto do e-commerce

Com os primeiros sinais de reação da economia brasileira, o momento volta a ser promissor para o mercado digital. O e-commerce registrou faturamento de R$ 21 bilhões no primeiro semestre deste ano, alta de 7,5% comparada ao mesmo período de 2016, com R$19,6 bilhões. O número de pedidos ultrapassou, pela primeira vez, a barreira dos 50 milhões, com crescimento de 3,9% nesse primeiro semestre. O tíquete médio também registrou expansão de 3,5% e passou de R$403 para R$418. As informações são do relatório Webshoppers 36, divulgado pela Ebit.

Paulo Renato Oliveira, diretor criativo da Action Labs, explica que para acompanhar essa crescente demanda é importante que as empresas que trabalham com e-commerce estejam preparadas para trabalhar cirurgicamente seus planos de mídia on-line. “Ser específico é fundamental, aparecendo no momento em que o consumidor está mais propenso a comprar. É preciso adaptar as mensagens de cada produto, e para cada público, entendendo o seu contexto”, analisa o Paulo.

Por isso, muitas empresas têm aderido ao DDAds, novidade em gestão de mídia on-line no Brasil. É uma plataforma de gestão de campanhas de links patrocinados (Google Adwords) que automatiza todo o processo. O DDAds, idealizada pela Action Labs, permite a criação automática de milhares de campanhas, anúncios e palavras-chave específicos para cada produto da loja virtual.

Felipe de Alvarenga Leite, diretor de Tecnologia da Action Labs, destaca que sem o DDAds seria necessária uma grande equipe de especialistas em links patrocinados para criar campanhas e anúncios, segmentar perfis, analisar os resultados e otimizar as abordagens manualmente. “Na prática, é inviável. Por isso, a plataforma segue as mais modernas tendências de gestão de mídia – a automatização, para distribuir a comunicação mais próxima do contexto do usuário, na hora certa, no lugar certo, com a mensagem certa”, explica Felipe.

“É uma nova forma de gerenciar as campanhas de comunicação digital – totalmente focada em resultados, com otimização em tempo real. Além disso, a torna mais eficaz, pois aumenta o ROI (Return over Investment, indicador para saber quanto dinheiro a empresa está ganhando ou perdendo com cada investimento realizado). Com isso, é possível melhorar os resultados dia a dia, hora a hora, minuto a minuto”, complementa Felipe.

Atualmente, fala-se muito em campanhas Data Driven, estratégia direcionada pelos resultados, que ajudam as empresas a errar menos em suas estratégias. “O modelo Data Driven é o futuro da distribuição de mídia e o DDAds viabiliza isso hoje, para empresas dos mais variados portes”, destaca Paulo.

Ele analisa que qualquer negócio pode optar pelo uso da plataforma, inclusive serviços que não são e-commerce, como os market places, por exemplo. O iCarros, portal do Itaú de classificados de carros, utiliza a plataforma.

 

Gestão eficiente e econômica

Paulo explica que ao viabilizar a gestão, o DDAds melhora o desempenho de uma campanha com um CPC (custo por clique) mais baixo e uma taxa de conversão mais alta. “O resultado é um retorno sobre o investimento (ROI) otimizado para toda a campanha. Em alguns casos chegamos entre 20% e 50% de aumento na eficácia da campanha – ou seja, com a mesma verba tem-se de 20% a 50% de otimização no investimento”, acrescenta.

O diretor ressalta ainda que o DDAds administra campanhas de mais de R$ 2 milhões/ano só em links patrocinados. O custo da licença varia de acordo com as ferramentas utilizadas e grau de personalização da solução, mas fica em torno de 4% do valor investido.

 

Próximos passos

O foco da Action Labs, que está há 1 ano e meio no mercado e tem um portfólio com mais de 30 projetos de empresas de todo o Brasil, é aumentar as integrações com Google Shopping e implementar o gerenciamento dinâmico de Bids. “O DDAds vai passar a atuar diretamente nas ofertas para o leilão de cliques do Google, de acordo com a qualidade dos leads que cada campanha gera para o anunciante”, explica Paulo.