Seminário de Empreendedorismo LGBTI lança rede colaborativa nesta sexta-feira em Curitiba

É grande o número de pessoas LGBTI que acessam o Coletivo LGBTI (APPAD e Dom da Terra AfroLGBTI) em busca de oportunidades de trabalho e emprego. Infelizmente muitas dessas pessoas relatam situações de discriminação nas entrevistas de emprego e também denunciam com frequência que foram demitidas após assumir sua orientação sexual. Outras buscam apoio psicológico em razão do assédio que sofrem no ambiente de trabalho, mas não reagem por medo do desemprego.

Uma pesquisa da Elancers, empresa online de recrutamento, confirmou todas essas dificuldades e violações: o levantamento apontou que pessoas LGBTI têm mais dificuldades para conseguir empregos e quando conseguem entrar em uma empresa, têm grandes chances de vivenciar alguma situação de discriminação. A pesquisa foi feita com recrutadores de 10 mil empresas brasileiras (sendo que 1,5 mil responderam e 8,5 mil não quiseram participar) e mostrou que 18% delas (uma em cada cinco) não contratariam uma pessoa LGBTI para determinados cargos.

Rede Colaborativa LGBTI de Curitiba e RM

Diante do cenário negativo da economia atual e das dificuldades de inclusão no mercado de trabalho, muitas pessoas LGBTI resolveram empreender abrindo seu próprio negócio. Por isso a importância da criação de uma rede de apoio aos empreendedores LGBTI e de formação e informações para pessoas LGBTI que buscam trabalho.

A APPAD e o Dom da Terra AfroLGBTI vão criar uma rede de colaboração entre pessoas LGBTI e empreendedores LGBTI com o objetivo de mapear oportunidades de trabalho e emprego para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexos, oferecer formação de educação em direitos humanos para empresas que contratem LGBTI e colaborar na visibilidade e fortalecimento de empreendedores LGBTI.

A iniciativa será lançada durante o Seminário Empreendedorismo LGBTI, que vai acontecer no dia 06 de outubro no espaço Engenho da Inovação – Moinho Rebouças, com apoio da Agência Curitiba, órgão da Prefeitura de Curitiba.

Além do seminário outras atividades devem acontecer no período que antecede a parada deste ano. “Nós vamos debater durante as atividades da 18ª Parada da Diversidade LGBTI de Curitiba as dificuldades que nossa comunidade sofre em busca de oportunidades de trabalho e especialmente as violações que sofrem durante os processos de seleção e no ambiente de trabalho”, diz o Coordenador Geral do Dom da Terra AfroLGBTI, Thon Chris Paiva.

Segundo Márcio Marins de Jagun, Coordenador Geral da APPAD, as e os jovens são os que mais sofrem com a discriminação: “A juventude LGBTI, especialmente a negra e de periferia é mais atingida, na crise elas são as primeiras a perder o emprego e as últimas a serem chamadas para processos de seleção. Por isso queremos debater o racismo e a LGBTIfobia no ambiente de trabalho e colaborar com as e os empreendedores LGBTI de Curitiba”, afirma Marins.

As empresas interessadas em contratar pessoas LGBTI ou em realizar oficinas de Direitos Humanos podem entrar em contato com o Coletivo LGBTI, pelo fone (41) 3055 4141 ou pelo e-mail appadpr@gmail.com.

 

SERVIÇO

Seminário Empreendedorismo LGBTI

Data: 06 de outubro

Horário: 19 horas

Local: Engenho da Inovação – Moinho Rebouças – Rua Engenheiros Rebouças, nº  1732

Informações: 41 3044 5151 – appadpr@gmail.com