A Lapa no Festival de Turismo de Gramado

 * Grabriel Antunes – enviado especial ao Festuris ( festival de Turismo de Gramado – RS.) 

A atividade turística nos últimos anos tem sido de extrema importância no que diz respeito ao desenvolvimento e crescimento da economia mundial. O Turismo detem hoje grande parte do PIB de muitos países que têm melhorado suas condições econômicas em decorrência do avanço que o setor tem proporcionado.

Em 2016 o WTTC –   World Travel & Tourism Council informou que o PIB direto do turismo representou 3,2% do total do PIB brasileiro. As projeções para 2017 são de um crescimento de 0,5%, e mais promissoras para os próximos 10 anos, quando o indicador deverá representar 3,4% do PIB. Nos parece importante para um país com a dimensão e a diversidade econômica do Brasil. Ou seja, o setor de viagens e turismo continuará a desempenhar um papel importante na economia nacional. Na América Latina em 2016 esse percentual foi de 3,2% e no mundo de 3,1%.

EMPREGOS

Ano passado o setor de viagens e turismo no Brasil empregou diretamente 2 milhões e 500 mil pessoas, 2,8% do total de empregos; as projeções são de crescimento de 1,6% em 2017. Na América Latina em 2016 os empregos diretos representaram 2,9% do total e no mundo 3,6%.Nos próximos dez anos os estudos do WTTC projetam um crescimento anual de 2,4% chegando em 2027 a representar 3,2% do total de empregos no Brasil.

Nesta edição do Festival de Turismo de Gramado, entrevistamos inúmeros profissionais da área, mas nos chamou a atenção, sobremaneira,  pela atuação articulada e envolvente,  Márcio Assad, Diretor de Turismo  da Lapa , cidade histórica do Paraná a pouco mais de sessenta quilômetros da Capital Curitiba. Resolvemos, entrevista-lo e realizar uma matéria exclusiva.

Assim como a Lapa, muitas das cidades brasileiras têm como fatores de produção econômica a agricultura, pecuária, comércio e pequena produção industrial. Porém hoje, têm aberto suas portas para um novo setor, o Turismo, que tem no município o cenário de produção e de consumo. A atividade turística pode constituir um investimento inicial gerador do processo ramificador da economia local, e por extensão, regional. É com esta ideia que, investir no Turismo é  uma alternativa positiva para os municípios que buscam saída para complementar sua economia e fazer com que haja um maior desenvolvimento da cidade e interior( visto que o turismo em área rural é um dos que mais cresce no Brasil) .

Esta foi  a abordagem que o Diretor de Turismo da Lapa, que nos   fez  um “balanço” de seu trabalho no ano que se encerra:  “Me sinto como um agricultor, diante de uma  terra  fértil, com  sementes  de boa qualidade e  o tempo colaborando…” Diante desta metáfora   indagamos, quais as perspectivas de futuro para o setor turístico, na histórica cidade?  ” Eu posso “pintar” dois quadros, que vão representar o futuro do turismo na Lapa: um é do turismo ( com letra minuscula) o outro o do  TURISMO ( com letra maiúscula) . A diferença entre os dois é gigante! O turismo ( com letra minuscula) é o que temos… o TURISMO ( com letra maiúscula) é o que queremos e PODEMOS! Entre a perpetuação  de um ou do  outro, estão fatores  como a conscientização do papel de cada segmento envolvido nesta industria: o que cabe efetivamente ao  poder público e igualmente a iniciativa privada ( vários setores com ligação direta e indireta). Dotar o turismo das ferramentas necessárias para que ele aconteça plenamente é entender que para “lavrar a terra” , fertiliza-la, plantar, capinar e após tudo realizado, com esforço , profissionalismo e AMOR, vem a colheita, que no caso do  turismo de um município abrange inúmeras  atividades afins envolvendo pessoas , estabelecimentos, comerciais e de prestação de serviços. Assad completa o raciocínio dizendo: “O único lugar em que o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”. e finaliza realizando uma comparação: ” Conheci Gramado a mais ou menos 40 anos. Naquela época a cidade serrana, sonhava e estava praticamente no mesmo patamar da Lapa em relação a vontade de desenvolver o turismo. Em levantamento de 2015, a cidade gaucha recebeu 40 vezes o numero de seus habitantes em números reais , Gramado já superou 1,5 milhão de visitantes por ano… ” O que eles fizeram, que nós não realizamos, nestas 4 décadas?
Claro que para responder a pergunta do diretor de Turismo Márcio Assad, demandaria um estudo comparativo, fazendo uma análise entre duas regiões brasileiras, mas o que se constata no “case” de sucesso de Gramado e Serra Gaúcha é que bem explorada turisticamente, passou a ser um pólo receptivo de turistas nacionais e internacionais, transformando a região num centro turístico de primeira qualidade , onde há infra-estrutura hoteleira de todas as categorias, além da gastronomia típica que é bem  explorada, a criação de entretenimentos diversos antes não existentes, destacando a região no cenário turístico nacional que tem crescido e se desenvolvido cada vez mais economicamente e socialmente frente a outras regiões do Brasil. Outro fato preponderante são os instrumentos públicos  colocados a serviço do turismo, setor que é encarado como deve ser: um fortíssimo  gerador de renda,  empregos e oportunidades de negócios.

Depois desta entrevista encerramos nossa cobertura, aqui em Gramado  e já estamos nos programando: Temos que conhecer a Lapa, em breve! A maneira com que Marcio Assad nos falou da cidade é de dar “água na boca” ( em vários sentidos)  , de qualquer viajante avido por lugares pitorescos…