Couve kale e peixinho da horta, sensações da Vila Verde Catuaí

 

A Vila Verde Catuaí é sucesso tanto entre os que já são adeptos da alimentação saudável como de muita gente que só esperava uma oportunidade para conhecer esse universo rico em nutrientes e de novos sabores. A feira de produtos naturais e orgânicos é realizada desde agosto – sempre às quartas-feiras – na área externa do Catuaí Londrina, das 17h às 22h. A Vila Verde ficará no Shopping até 29 de novembro.

Helder Kaneji Kasuya, sócio-proprietário da Akko Saladas, viu a sua couve kale, cultivada sem agrotóxicos na propriedade da família na Usina Três Bocas, virar “fenômeno de vendas”. Até então inédita em Londrina, tem sido campeã de degustação na feira. É servida refogada na manteiga com ervas finas, tudo ali na hora mesmo, diante do freguês. “O pessoal degusta na feira, leva para casa e traz para gente novas receitas por ser um produto novo”, ressalta.

A Akko não conta com loja física e trabalha apenas com entregas. Por isso, a Vila Verde tem sido uma oportunidade de contato direto com o consumidor. “É uma maneira de valorizarmos os nossos produtos e uma oportunidade para o pessoal provar as novidades”, celebra o produtor, que tem na ‘kale” um dos itens mais provados e aprovados da feira. “Estamos preparando uma novidade lá na nossa propriedade para trazer pra penúltima ou última edição, no final de novembro”, adianta.

Como a Vila Verde não se resume só à venda de alimentos, a parceria entre a Chácara São José, que produz hortaliças, com o Ukalaa Trabalho Manuais deu mais do que certo. A beleza e curiosidade dos artesanatos feitos pelo casal Gustavo e Juliana Vetter ganharam espaço ao lado das verduras fresquinhas que a dupla cultiva e oferece na feira. “A grande dificuldade para quem trabalha com verdura é o ponto de venda. Uma coisa é você produzir, e outra coisa é chegar até o consumidor”, revela o produtor, planejando oferecer mais frutas da época, como pitanga, acerola e amora, nas próximas feiras.

O que Gustavo considera curioso foi a excelente aceitação dos instrumentos musicais artesanais, como berimbau e pandeiro. Outro ponto lembrado por ele é a demanda vinda diretamente dos clientes, que pedem por algo que nem sempre está à disposição na feira, mas nem por isso deixam de ser atendidos.

“Passamos a vender o “peixinho da horta” depois da procura do público. É uma hortaliça que tem sido divulgada por alguns chefs na TV e muita gente vem procurar aqui na feira”, refere-se Gustavo a uma planta comestível da família da sálvia, da hortelã e do manjericão.

Presente na feira desde a primeira edição, o Le Gusta, que produz temperos com produtos naturais selecionados, sem adição de glutamato monossódico e conservantes, também destaca o contato direto com o público proporcionado pela Vila Verde. “A feira é excelente para apresentar o produto, fazer com que a pessoa possa degustar, conferir aroma, sabor, conversar com quem faz, além das trocas de receitas e dicas de uso. É um contato com o público diferente do que a gente tem no dia-a-dia”, aponta Adélcio Rosa Jr.

O produtor revelou o item que é sucesso de vendas em sua barraca: o bacon sem conservantes, justamente por conta do modo como é feito, com defumação lenta e processo de cura com sal. O próprio Adélcio conta que teve receio da aceitação dos frequentadores a esse tipo de bacon, mas que no final, conquistou muitos fãs. “Angariei alguns clientes na feira para alguns produtos que não é possível trazer aqui porque têm produção mais limitada, como as linguiças sem conservantes, por exemplo”, relata Adélcio.

Nesta quarta-feira (1º), haverá palestra do personal trainer  Alexandre Picoloto sobre “O que é ser saudável para você?”, às 19h30. A apresentação musical ficará por conta de Fábio Vitturi.

Serviço: A feira Vila Verde Catuaí é realizada nas noites de quarta-feira, das 17h às 22h, na área externa em frente à entrada principal do Catuaí Shopping Londrina. Além das barracas, há uma programação de shows e palestras sobre vida saudável.