O que fazer se meu nariz sangrar?

Mais comum em crianças, a epistaxe, também conhecida como sangramento nasal, costuma deixar os pais preocupados. Isso porque a parte interna do nariz dos pequenos tem uma concentração maior de vasos sanguíneos se comparada com a dos adultos, e uma simples queda ou brincadeira comum pode acabar ocasionando um sangramento. E se o nariz começar a sangrar, o que devemos fazer? Há motivos para se preocupar? Leila Crisigiovanni, otorrinolaringologista da Otorrinos Curitiba, esclareceu algumas dúvidas sobre o assunto.

Veja também:
:: Tabagismo e bebida alcoólica são causas importantes para o mau hálito
:: Quem sofre com tontura deve evitar alimentos com cafeína
:: Uso do soro fisiológico ajuda a prevenir a sinusite

“O nariz é muito vascularizado por pequenos vasos sanguíneos, sobretudo em sua porção dianteira, os quais se rompem e sangram facilmente, seja por condições locais ou por repercussão de problemas gerais. Basta a mucosa se ressecar pelo ar que penetra no nariz que ela forma crostas que podem sangrar quando irritadas ou retiradas”, explicou a otorrino.

Sangrou? Cabeça para trás!
A dica, segundo a otorrino, é não se desesperar. Caso o nariz comece a sangrar, a primeira coisa a fazer é tentar acalmar a criança e seguir alguns procedimentos.

“Tranquilize a criança e coloque-a sentada. Incline a cabeça para frente – e não para trás, como normalmente ouvimos por aí -, pressione as narinas por 10 minutos e peça para que respire pela boca. Após os 10 minutos libere a pressão sobre o nariz e repita a operação caso o sangramento persista. Pode-se aplicar gelo e/ou compressas frias sobre o dorso nasal. Nunca deite a criança, pois se o sangue for aspirado pode provocar tosses e/ou vômitos”, orientou.

Muitas vezes, segundo Leila, o sangramento ocorre pelo simples ato de assoar o nariz ou devido à baixa umidade ou de alguma outra afecção nasal simples, como alergias ou resfriados, por exemplo. “Pode também acontecer que a pessoa exteriorize pelo nariz um sangue que não tenha origem nasal, como no caso de traumatismos ou tumores de regiões vizinhas”, lembrou.

Atenção para as altas temperaturas
Se o tempo estiver muito seco e a umidade baixa, é bom ficar atento: essas condições colaboram para o ressecamento da mucosa nasal e o rompimento dos vasos sanguíneos. No verão, a orientação é a mesma, justamente por causa das altas temperaturas.

Devemos nos preocupar?
De acordo com Leila, caso os sangramentos sejam frequentes, é bom consultar um otorrinolaringologista.

sangramento-nariz-otorrinolaringologista-otorrinos-curitiba“Se os sangramentos forem constantes, procure ajuda médica. A epistaxe pode ocorrer em ocasiões como doenças respiratórias, exposição ao ar condicionado, trauma nasal (quedas, brincadeiras), colocação de objetos estranhos dentro das narinas, rinites, uso excessivo de descongestionantes nasais ou infecção de vias aéreas respiratórias superiores. Além disso, pode estar relacionada ao aumento da pressão arterial associada a transtorno hemorrágico sistêmico, síndromes associadas à alteração dos vasos sanguíneos nasais, tumores nasais ou de seios paranasais, além do uso de anticoagulantes. Portanto, nesses casos, recomendamos que o paciente procure um otorrinolaringologista, que poderá fazer o diagnóstico correto”, resumiu.

Sobre Leila Crisigiovanni
Leila Crisigiovanni é formada em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com residência em Otorrinolaringologia pelo Hospital Angelina Caron. Possui título de especialista em Otorrino pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF / 2015) e está cursando fellowship em Rinologia no Hospital da Cruz Vermelha. Realizou cursos de Otorrinopediatria pelo Hospital Cruz Vermelha; Rinoplastia, Apneia Obstrutiva do Sono e Ronco, Otoneurologia, Cirurgia Otológica e Implante Coclear pelo Hospital Paranaense de Otorrinolaringologia de Curitiba; Otoscopia pelo Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR); Cirurgia Endoscópica Endonasal Básica pelo Hospital Cruz Vermelha, e Dissecção Osso Temporal pela Universidade de São Paulo (USP).

Sobre a Otorrinos Curitiba
A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

Em outubro de 2017, foi inaugurado o moderno Centro Cirúrgico, localizado na ala anexa da clínica. Com capacidade para realizar três cirurgias ao mesmo tempo, o Centro Cirúrgico conta com quartos e enfermarias, e oferece total segurança e conforto aos pacientes que necessitarem de procedimentos na área de otorrinolaringologia e demais especialidades.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sábado, das 8h às 22h, domingo, das 8h às 14h, e feriados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:

Otorrinos Curitiba
Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês
Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084
Site: www.otorrinoscuritiba.com.br
Facebook: www.facebook.com/OtorrinosCuritibaPR/