Porto Itapoá amplia serviços para a Europa

O Porto Itapoá, no Norte de Santa Catarina, inaugurou a nova configuração de seus serviços para a Europa, que agora tem a participação de três armadores. A Maersk Line juntou-se à Hamburg Sud e à CMA-CGM, garantindo maior amplitude e disponibilidade nessas rotas, com menor tempo de rotação dos navios entre as escalas, o que representa um grande diferencial para as empresas que movimentam suas cargas pelo Porto Itapoá.

A estreia dos serviços Europa dentro da nova configuração ocorreu no último dia 29/10 com a atracação do navio CMA CGM Magdalena (foto em anexo). A embarcação faz parte da serviço Mesa/Sirius/Bossa Nova (Mediterrâneo e Sul da Europa). Já no dia 5/11, o navio CAP San Lorenzo, da Hamburg Sud, deu início ao serviço Saec1/Safran/Samba (Norte da Europa).

As cargas movimentadas com a Europa, tanto as de exportação quanto as de importação, representam hoje 30% do volume de movimentação do Porto Itapoá. Consolidar e ampliar esses serviços é parte da estratégia de crescimento do terminal. Dentro de poucos meses, com o fim da primeira fase de suas obras de expansão, Itapoá deverá ampliar a sua capacidade de movimentação em até 70%.

A Europa sempre foi um dos principais destinos e origem das cargas de exportação e importação do Brasil. No ano de 2016, o continente foi o destino de R$ 21 bilhões em exportações brasileiras e a origem de R$ 17 bilhões em importações, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC). O continente consolida-se como o terceiro maior parceiro comercial do Brasil – em volume de negócios –, atrás de China e EUA.

A principal razão que leva armadores a consolidarem suas rotas para a Europa via Porto Itapoá é o porte dos navios que operam esses serviços. As embarcações têm entre 8 mil e 11 mil TEUs (medida padrão para contêineres de 20 pés). Poucos terminais no Brasil têm condições de operar navios com essa capacidade, em seu volume máximo de carga.

A outra razão é a localização estratégica de Itapoá, servido por eficiente conexão rodoviária e próximo a grandes centros produtores e consumidores, como Londrina e a Região Metropolitana de Curitiba.

A escala em Itapoá terá um dos menores tempos de rotação (transit time) entre Brasil e Europa. No serviço Mesa (Mediterrâneo), a importação será de 22 dias e a exportação, de 28 dias. No Saec1 (Norte da Europa), a importação apresenta um transit time de 33 dias, enquanto a exportação é de 33 dias.

Histórico

Inaugurado em junho de 2011, o Porto Itapoá já é hoje o sexto terminal brasileiro em movimentação de contêineres, de acordo com a ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários. É também considerado um dos terminais mais eficientes do país. Com as obras de expansão, iniciadas no segundo semestre de 2016, sua capacidade de movimentação de cargas passará dos atuais 500 mil TEUs para 2 milhões de TEUs anuais.

Com investimentos que somam R$ 500 milhões, o projeto de ampliação tem prazo de conclusão de até cinco anos. A área física do Porto passará dos atuais 150 mil m² para 450 mil m². O cais, que hoje tem 630 metros de comprimento, passará a ter 1,2 mil  metros. Até maio de 2018, a previsão é de que pelo menos mais 100 mil m² de pátio e 170 metros de píer estejam prontos para a operação. Com isso,  a capacidade de movimentação, já em 2018, poderá ser de 1,2 milhões de TEUs/ano.

meta@metaconsultoria.com.br