Foliculite nos glúteos: saiba porque ocorre e como prevenir

Com a chegada do verão, a praia é um dos destinos mais procurados. Porém, algumas pessoas evitam usar trajes de banho por causa de pequenas alterações no corpo, como, por exemplo, a foliculite. Ainda muito confundida com a acne, apesar da aparência semelhante, ambas se diferem quanto à causa e o lugar que aparecem. Enquanto a acne concentra-se mais no rosto e no tronco, a foliculite pode aparecer em qualquer lugar que haja pelos, sendo comum na barba, virilha e, principalmente, nas nádegas. “A foliculite é um problema que atinge tanto homens quanto mulheres, crianças ou adultos, e geralmente aparece como espinhas pequenas, com pus ou não, em torno de um ou mais folículos pilosos”, explica a dermatologista Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Segundo a dermatologista, a principal causa da foliculite tem a ver com lesões causadas na pele provocadas pela depilação. Além disso, a transpiração excessiva e o uso de tecidos justos e grossos, que não permitem a oxigenação também agravam o problema. “É importante que o corpo transpire de modo correto. Se isso não ocorre, as bactérias do tipo estafilococos da região se proliferam e acabam atingindo a estrutura que origina os pelos, causando assim um processo inflamatório”, completa. Deve-se ficar atento à foliculite, pois esta pode tornar-se um furúnculo quando a bactéria causadora atingir camadas mais profundas da pele, o que acaba conferindo na pele cicatrizes e manchas.

Mas existem alguns cuidados que podem ser tomados para prevenir a doença. Por exemplo, é importante evitar calças muito justas e roupas de tecidos que retêm o suor, pois isso acaba dificultando que a pele respire de maneira adequada. Além disso, nunca tente espremer a inflamação, senão a situação pode acabar agravando-se. “Para evitar o surgimento da foliculite, prefira sempre roupas de algodão, filtros solares menos oleosos e cremes não tão pesados. Realizar esfoliação regularmente também auxilia muito no combate à doença”, afirma a dermatologista.

Sobre a depilação, ainda não existe um método que não cause lesões à pele, mesmo que pequenas. Então, a recomendação é evitar a depilação com cera quente e pinça, pois estas aumentam a chance de os pelos encravarem, e redobrar a atenção com a esfoliação na semana que antecede e sucede o procedimento.

De acordo com a Dra. Thais, para quem já sofre com as bolinhas vermelhas, é recomendado utilizar sabonetes antissépticos nos locais atingidos. “Em casos mais avançados, não tente resolver a questão com receitas caseiras que circulam pela internet. O ideal é sempre consultar um dermatologista. Muitas vezes, o tratamento para foliculite requer medicamentos, de uso oral ou tópico, que apenas um especialista poderá indicar”, finaliza.

Dra. Thais Pepe: Dermatologista especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Diretora técnica da clínica Thais Pepe, tem publicações em revistas científicas e livros, além de ser palestrante nos principais Congressos de Dermatologia.

maria.claudia@holdingcomunicacoes.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu