Jardins verticais são ótimas opções para decorar e diminuir efeitos da poluição das grandes cidades

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a poluição do ar é considerada um problema grave nas grandes cidades. Recentemente, a revista científica The Lancet divulgou um estudo feito durante dois anos em 188 países que tem como objetivo mostrar os efeitos da poluição para a saúde mundial. Durante o levantamento, foi comprovado que a poluição do ar foi responsável por mais de 70 mil mortes no Brasil em 2015, deixando o país na 11ª posição, somente atrás de países dos continentes Asiático e Africano.

Apesar dos números expressivos revelados nos estudos, existe o apoio de uma grande parcela da população e de empresas na busca da diminuição das ações dos gases na atmosfera, o que ajuda a reduzir os efeitos agressivos à saúde. Entre as iniciativas vistas ao redor do mundo, uma tendência que se destaca é a construção de jardins verticais. Além da praticidade, eles tornam a área urbana mais bonita, trazendo o verde para perto em áreas internas ou externas. De acordo com Suelen Oliveira, gerente de marketing da PlastPrime (empresa presente no mercado de jardins verticais), essa é uma ótima forma de ajudar na redução da poluição. “Construir uma parede verde, que é totalmente ecológica e sustentável, auxilia na redução da poluição em função da troca de carbono feita pelas plantas. Além disso, um jardim vertical pode ajudar no isolamento térmico e acústico do ambiente. Também já foi comprovado, por meio de estudos, que a presença de plantas em um ambiente ajuda na diminuição do estresse do dia a dia.”

De fácil instalação, os módulos para jardim vertical da PlastPrime, conhecidos como Plastwall, possuem duas versões, de 6 e 12 litros, e atendem às necessidades de quem busca construir uma parede ecológica com plantas, folhagens ou hortaliças. O ambiente fica mais fresco e a vegetação ajuda a amenizar a propagação dos ruídos em até 40%. “Todos os módulos possuem sistema de drenagem, suporte para irrigação e tem o diferencial de impermeabilizar a parede, evitando infiltrações ou rachaduras. Trata-se de um produto leve, produzido com polipropileno ou polipropileno reciclável de caixinhas longa-vida, que pode ser colocado em qualquer parede. Em caso de mudanças, os módulos podem ser realocados sem danificar o produto, evitando assim a perda do investimento”, explica.

Crédito de carbono

O crédito de carbono é um certificado emitido quando ocorre a redução da emissão de gases do efeito estufa, principal objetivo desse mercado de créditos que foi criado com a assinatura do Protocolo de Quioto, em 1997. Atualmente, cerca de 15 países cobram impostos sobre a emissão do gás carbônico, e em 17 regiões o carbono já é uma commodity.

Desenvolvido para criar jardins verticais, este sistema modular poderá auxiliar as empresas e pessoas que buscam o crédito de carbono, quando implementado no Brasil. Porém, ainda não foi definido como o crédito funcionará e sua implementação é um processo moroso.

Certificação LEED

LEED é uma sigla para Leadership in Energy and Environmental Design, isto é, Liderança em Energia e Design Ambiental. E foi criado com o intuito de promover e fomentar práticas de construção sustentável, uma vez que era preciso estabelecer estratégias e padrões para criar edifícios sustentáveis.

LEED é uma sigla para Leadership in Energy and Environmental Design (Liderança em Energia e Design Ambiental), que representa um sistema de pontuação desenvolvido para medir o desempenho ambiental, promover e fomentar práticas de construção sustentável, uma vez que era preciso estabelecer estratégias e padrões para criar edifícios sustentáveis.

Uma parede verde contribui com créditos para obter essa certificação e um edifício certificado economiza dinheiro durante seu ciclo de vida e ajuda o meio ambiente e a sociedade como um todo. Isso sem contar na valorização e status do imóvel que tem essa certificação. De acordo com estudo realizado pela consultoria Ernest Young, em parceria com o GBC Brasil, divulgado em 2013, a participação das edificações registradas LEED no PIB da construção no Brasil chegou aos 10%, com expectativa de crescimento.

Ter um jardim vertical é fácil, rápido e as vantagens são inúmeras. Com o apoio de todos, é possível deixar as cidades com menos poluição, resultando em benefício para a saúde da população.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu