Parceria com universidade finlandesa capacita professores do Ânima Educação

O Grupo Ânima Educação acaba de firmar uma parceria com a Universidade da Finlândia para treinar e capacitar professores de suas instituições espalhadas pelo país. O Ânima é uma das maiores entidades privadas de ensino superior no Brasil com mais de 95 mil alunos distribuídos nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Paraná. O Centro Universitário UniSociesc, de Curitiba, integra o Grupo.

O termo de colaboração foi assinado pelo presidente do Ânima Educação, Daniel Faccini Castanho, e pelo CEO da Universidade da Finlândia, Pekka T. Saavalainen. A instituição finlandesa fornece em todo o mundo programas de licenciatura e de desenvolvimento profissional em suas universidades como a de Tampere, que irá realizar o treinamento dos professores brasileiros.

Segundo Castanho, a cooperação com a Universidade da Finlândia é um marco importante para a organização. “Visitamos escolas em Tampere e vimos como o sistema educacional finlandês funciona em todas as etapas educacionais. Os professores são os principais motores do sistema”, conta Castanho. Ele esteve na Finlândia liderando uma delegação no final de outubro e começo de novembro deste ano.

Treinamento

A cooperação de treinamento começou em agosto de 2017 com o programa de pedagogia universitária “Ensino e Aprendizado no Ensino Superior”, ministrado pelos professores finlandeses. Os primeiros 40 professores que integram as instituições da Anima se formarão em março de 2018.

Para Edson Florentino José, um dos profissionais que está recebendo treinamento, o programa cria experiências compartilhadas e apoia o desenvolvimento profissional dos participantes. Segundo a diretora do Ânima Educação, Ines Barreto Almeida, no futuro o conhecimento adquirido no treinamento será compartilhado, pois os professores trabalharão como mentores de outros profissionais.

Referência em Educação

A Finlândia é uma das maiores referências mundiais em educação e conhecida pela sua qualidade de ensino. Suas universidades estão entre as melhores do mundo. A lei da educação superior é acessível a todos os finlandeses e por isso as universidades não podem cobrar pelo ensino. “Estou impressionada com a maneira finlandesa de organizar a formação dos professores nas escolas e a cooperação entre pais e escolas. Essa visita à Finlândia aprofundou mais a nossa compreensão da educação naquele país, baseada na pesquisa e trabalho dos professores”, afirma Inês.

A valorização do professor na Finlândia é tanta que a carreira está entre as principais preferências dos jovens, à frente de profissões como medicina, direito e arquitetura. Essa valorização do professor começou na revolução educacional conduzida pela Finlândia a partir dos anos 70 que colocou o país nas posições mais elevadas do ranking mundial de desempenho escolar e produziu o nível de excelência dos professores.

A Finlândia investe constantemente na evolução de seu sistema educacional e está entre as primeiras posições do Pisa, avaliação internacional que mede o nível educacional de jovens de 15 anos nos países-membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O país tem o sistema nórdico igualitário sem taxa de ensino para os estudantes de tempo integral. Os alunos recebem alimentação gratuita na educação primária e secundária e após a educação primária, os estudos se dividem em sistema vocacional e sistema acadêmico. Neste mês de dezembro, a Finlândia está comemorando 100 anos de independência da Rússia.

Daniel Faccini Castanho, presidente do Grupo Ânima Educação

Foto: Renato Stockler