Secretaria da Cultura lança livro de receitas típicas paranaenses

A Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) lançou na ùltma quarta-feira (20/12) o livro Delícias do Paraná – tradições e sabores da nossa terra em um almoço no Museu Oscar Niemeyer. Foram servidas três releituras de pratos preparados pelo chef Flávio Frenkel, responsável pelo MON Café, que estão presentes na publicação.

O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, explica que um dos patrimônios culturais do Paraná mais significativos e de maior riqueza é a culinária. “Este projeto possibilita o contato com a pluralidade da gastronomia paranaense, fruto de uma colonização diversificada. Por meio dele identificamos a mistura de várias culturas, de influências trazidas pelos imigrantes que ajudaram a construir o nosso Estado somadas aos costumes dos povos que já viviam aqui”, comenta.

“A avaliação que faço desse livro e deste momento em especial é de extrema alegria. É uma oportunidade que os municípios tiveram de apresentar suas comidas típicas e agora podemos levar este livro para outros estados brasileiros assim como para fora do Brasil, mostrando a culinária diversificada do Paraná e a miscigenação que temos no Estado”, elogiou a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa.

LIVRO – O livro reúne 81 receitas enviadas por 51 municípios paranaenses com o objetivo de preservar e divulgar a gastronomia paranaense. Para realizar o projeto, a SEEC convidou dirigentes culturais de cada um dos 399 municípios do Estado a enviarem receitas que representassem a identidade cultural da cidade e que representassem a culinária local.

A secretaria fez toda a produção da edição, com organização das receitas recebidas, produção de fotos, elaboração do design gráfico e revisão. O chef Flávio Frenkel, do MON Café, foi convidado para elaborar a releitura de alguns pratos e escolheu três deles: Quirera (releitura do prato da Lapa), Porqueta (releitura da leitoa mateira de Mamborê) e Gnocchi de abacate (releitura do prato de Arapongas). O livro foi publicado com o selo Biblioteca Paraná, da Biblioteca Pública do Paraná (BPP).

Para o chef Flávio Frenkel, o livro é uma importante ferramenta de documentação da cultura. “A memória tem que ser escrita. A memória falada sempre vai sofrer muitas corruptelas, vai sofrer influências que necessariamente não compõem aquele registro histórico. Então tudo que você documenta, você deixa mais fidedigno”, defendeu.

HOMENAGEM – Na ocasião também foi entregue o diploma Empresa Amiga da Cultura aos representantes do Detran Paraná, Sanepar e Copel, como forma de reconhecimento da importância da parceria dessas empresas para a área cultural.

PRESENÇAS – Participaram do evento a secretária de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; os secretários de Estado da Cultura, João Luiz Fiani; da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes; o presidente da Copel, Antonio  Guetter; o diretor-geral do Detran-PR, Marcos Traad; a diretora-presidente do Museu Oscar Niemeyer, Juliana Vosnika; o diretor da Biblioteca Pública do Paraná, Rogério Pereira; o representante da Sanepar, Fabrício Marques de Souza; e convidados.


Fotos: Kraw Penas