Baixo custo e eficácia: conheça o bougie para uso em vias aéreas difíceis

Dispositivo facilita a intubação traqueal em casos considerados extremos, quando a visualização da traquéia está comprometida

 

O bom médico é aquele que está sempre preparado para as mais inesperadas ocasiões,
dentro e fora do seu consultório. Uma das situações que mais demandam atendimento
rápido e preciso é o evento da via aérea difícil, também conhecida como VAD. Nestas
ocasiões, é necessário agir com técnica apurada para garantir a desobstrução e,
consequentemente, a recuperação da capacidade do paciente de respirar. Em casos como
estes, a falta de atendimento ou o erro na execução do procedimento pode representar a
gravidade do quadro clínico, levando o paciente a óbito.

É por isso que os médicos – e principalmente os socorristas -, devem ter sempre em
mãos o bougie, que funciona como um guia para a intubação traqueal. Corriqueiramente
usado no Brasil, o dispositivo é unanimidade na área da saúde de diversos países da
Europa. No Reino Unido, por exemplo, os introdutores são a primeira escolha dos
anestesiologistas, conforme reportagem publicada pelo Jornal da Associação de
Anestesiologia do Reino Unido e Irlanda.

O bougie deve ser usado nas situações de emergência quando:

  • Não é possível ter a visão completa da glote;
  • O paciente possui dentes protusos, que dificulta o caminho do introdutor;
  • Mallampati avançado.

Vantagens do uso do bougie

A vantagem do bougie é que ele tem baixo custo e, em situações extremas, pode ser
montado de forma provisória, usando guias hidráulicas para passagem de fios em
tubulações na construção civil.

O bougie pode ser encontrado nas mais diferentes versões. Segundo a Celmat,
referência em venda de produtos na área da saúde, os introdutores bougie podem ser
para uso adulto, infantil e neonatal, além de serem encontrados com diferenciais, como
o articulado e o oxigenado, estes um pouco mais caros.

O oxigenado, por exemplo, vem como um conector de ventilação para O2 de 15
milímetros. São usados, principalmente, para dessaturação do paciente.
Já o articulado permite dobrar ou curvar as guias, aumentando a mobilidade durante o
atendimento médico essa versão tem 20 centímetros de comprimento quando dobrado,
podendo chegar até a 65 centímetros após a montagem.

Os pesquisadores da saúde elogiam o bougie por ser barato e também seguro. As
complicações relacionadas ao seu uso são mínimas, e estão ligadas a falhas pontuais do
material utilizado ou também advindas de erro médico, gerando traumas que podem
causar sangramentos.

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu