Anvisa aprova novo tratamento para tipo de câncer raro

A Anvisa aprovou o registro de Lartruvo (olaratumabe), da Eli Lilly, medicamento biológico indicado para o tratamento de sarcoma de partes moles, que compõe um grupo heterogêneo de tumores malignos para o qual os pacientes têm opções limitadas de tratamento. Durante os estudos clínicos, os pacientes que receberam Lartruvo, associado à doxorrubicina, apresentaram uma sobrevida global média de 26.5 meses, tempo 80% superior aos que apenas receberam o medicamento padrão.

Nos Estados Unidos, o medicamento da Lilly recebeu do FDA (Food and Drug Administration) designações como Breakthrough Therapy (concedida a moléculas experimentais que são consideradas grandes inovações), Fast Track (revisão regulatória acelerada quando existe uma grande urgência para que o tratamento chegue aos pacientes) e Doença Órfã (moléculas em estudo para doenças raras que não tenham uma alternativa terapêutica satisfatória).[1] Por esta inovação, a Lilly Oncologia foi reconhecida pela Fundação de Sarcoma da América com o prêmio “Vision of Hope Award”, concedido àqueles que contribuíram de forma significativa para o avanço dos cuidados, tratamento e esperança dos pacientes com sarcoma.

Sobre o sarcoma de partes moles

O Sarcoma de partes moles é um cancêr raro que representa 8% das neoplasias de crianças e 1% das neoplasias em adultos. No Brasil, estima-se que esse tipo de câncer acometa, em media, 2.8 indivíduos a cada 100 mil habitantes¹.

Referências

1 – Sociedade Brasileira de Genética Médica - https://muitossomosraros.com.br/doencas-raras/cancer-raro/sarcoma-das-partes-moles/

Para saber mais sobre a Lilly, acesse www.lilly.com.br.

vinicius@tinocomunicacao.com.br

Talvez você se interesse por estes artigos

Fechar Menu