Mais uma semana para conferir exposições da Bienal de Curitiba

Notaparana

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba encerrou sua programação geral no último domingo (25/02). Em cinco espaços, entretanto – no Memorial de Curitiba, Museu Paranaense, MuMA e Hall da Secretaria de Estado da Cultura – além da Sala 09 do Museu Oscar Niemeyer,  as mostras foram prorrogadas até o dia 4 de março.

Entre as exposições que ainda podem ser vistas até o início de março estão “A Colagem Expandida – Clube da Colagem de Curitiba” no MuMA Portão Cultural, “Por Que O Mundo Não Deve Perder Seus Afetos”, de curadoria de Dannys Montes de Oca e Royce Smith no Memorial de Curitiba, exposição com obras da chinesa Maria Cheung no Hall da Secretaria de Estado da Cultura, e as mostras “Dualidades Humanas”, “Tiluk e a obra de Guadalupe Miles” e “Opera Hominium”, estas presentes na Sala 09 do MON.

Além de apresentar a produção artística chinesa através de homenagem prestada à China nesta edição, a Bienal deixou como legado para a cidade a escultura em bronze de Confúcio instalada no Centro Cívico. O Largo da China foi inaugurado pelo prefeito Rafael Greca em 30 de setembro do ano passado, no mesmo dia da abertura da Bienal. A obra em bronze fundido, com três metros de altura e 1.200 quilos, é de autoria do renomado artista chinês Wu Weishan e foi doada à cidade de Curitiba pelo Governo da China.

Outro legado desta edição da Bienal Internacional de Curitiba foi a doação de um forno de combustão à lenha de alta temperatura para queima de cerâmicas, instalado no Ateliê Livre de Escultura do Centro de Criatividade de Curitiba, localizado no Parque São Lourenço. A estrutura é uma das maiores do Brasil para queima de cerâmicas em alta temperatura e foi construída por professores e especialistas em cerâmica da Universidade Estadual de Montana (EUA), utilizando técnicas inovadoras. A universidade americana patrocinou todo o material necessário, bem como os custos dos especialistas dos Estados Unidos envolvidos no projeto e na execução da obra.

Além dos 100 espaços culturais ocupados em Curitiba, a Bienal também teve sua programação expandida em outras cidades, como Florianópolis (SC), Mar Del Plata e Buenos Aires (Argentina) e Assunção (Paraguai).

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba ocorre há 25 anos na cidade de Curitiba e é reconhecida como o maior evento de arte contemporânea da América do Sul e um dos principais eventos de arte do circuito mundial. A edição atual de 2017 contou com a participação de 435 artistas de 43 países dos cinco continentes, sendo a China o país homenageado. Esta é uma realização do Ministério da Cultura do Governo Federal, Secretaria de Estado da Cultura do Paraná e Fundação Cultural de Curitiba/Prefeitura Municipal de Curitiba. Patrocínio: Copel, Fomento Paraná, Sanepar, Elejor, Huawei, Horizons, Eletrobras Furnas, Velsis, Rumo, Itaipu. Apoio: Universidade Estadual de Montana (EUA).


Serviço:
Exposições prorrogadas da Bienal de Curitiba

A Colagem Expandida: CCC na Bienal de Curitiba (até 04/03)
Local: MuMa – Museu Municipal de Arte – Portão Cultural (Av. República Argentina, 3430)
Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 19h.
Entrada franca
________________________________________
Porque o mundo nunca deve perder seus afetos (até 04/03)
Local: Memorial de Curitiba (R. Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico) e Museu Paranaense (R. Kellers, 289 – São Francisco) e Museu Paranaense (R. Kellers, 289, Alto São Francisco)
Horário Memorial: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábado e domingo, das 9h às 15h.
Horário Museu Paranaense: de terça a sexta-feira, das 9h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 16h
Entrada franca
________________________________________
Dualidades Humanas, Opera Hominium e Tiluk e a obra de Guadalupe Miles (até 04/03)
Local: Museu Oscar Niemeyer – MON (R. Marechal Hermes, 999) | Sala 09

Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Resumo: Série de obras da artista Luzia Simons, constituída de imagens de tulipas, compostas em rigoroso arranjo montado com os dispositivos sobre um scanner.
________________________________________
Maria Cheung (até 04/03)
Local: Hall da SEEC – Secretaria de Estado da Cultura (R. Ébano Pereira, 240 – Centro)
Horário: de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h
Ingressos: gratuito

Foto: Henrique Thoms